Capa e Editorial da Edição nº: 873


Democracia requer participação

A próxima semana tem dois eventos, talvez para uns pareçam banais, mas, na realidade, é um verdadeiro exercício de democracia e cidadania. Mas para de fato ser um exercício democrático, é necessário participação.

Um, é a eleição de diretoras nas escolas municipais e CMEIS, que na sua grande maioria não haverá disputa, há inclusive escolas sem candidato. Isso é muito ruim, pois esse desinteresse pode indicar que os profissionais da educação estão desinteressados com o todo do processo educacional e isto é nocivo ao processo ensino aprendizagem.

Ou que está faltando nas escolas um clima democrático, as pessoas estão se sentindo com medo ou inseguras para se candidatar e isso também é muito nocivo tanto para aescola na questão estrutural como na questão pedagógica. Em ambas as situaçõesé preciso que a comunidade escolar pare, pense e reflita.

Não ter disputa pode ser sim sinal de que antes do período eleitoral os profissionais se reuniram,discutiram e decidiram em comum acordo que só haveria um candidato, na verdade já pré elegendo esse, só cumpriria com a legalidade, se essa é uma situação de consenso e que foi feita dentro de discussões democráticas, parabéns à escola,isso se chama maturidade.

Agora, não ter candidato não há explicação e nada que justifique a não ser a acomodação e o desinteresse com o todo da escola e da aprendizagem dos alunos. A eleição por si só já é para os alunos uma grande aula de democracia e não deve ser negada a eles essa oportunidade de vivenciar o processo democrático pela mera acomodação de não mexer no que está e às vezes,está há muitos anos.

Outro evento será a eleição da nova diretoria do SIFUMPI,que nesse caso por não haver concorrente, apenas a atual diretoria lançou uma chapa, não será verdadeiramente uma eleição, mas uma avaliação do trabalho realizado nos últimos três anos.

Não ter concorrência mostra acima de tudo que a participação dos funcionários junto ao sindicato tem deixado a desejar, e do que se acompanha, os esforços para chamar os associados para as assembléias tem sido grande.

Isso mostra que as pessoas ainda fazem a opção por comentar,criticar nas redes sociais, mas nada de se envolver de fato. Não há democracias e não houver participação, é preciso que os cidadãos compreendam que o processo democrático se dá em todos os níveis da vida.

Que o voto é um ponto essencial do processo democrático, mas que a democracia se faz nas ações e envolvimentos do dia-a-dia. Não tem diretoria de sindicato ou político que garanta o processo democrático se não houver engajamento e participação das pessoas. Ser cidadão não é estar com as obrigações civis e tributarias em dia.È estar junto às várias instituições, organizações, ONGs, espaços que discutemos encaminhamentos, leis, regulamentações e proposições que definem  os rumos de uma categoria, bairro, cidade,estado e pais.

Ser cidadão não é estar com as obrigações civis e tributarias em dia. È estar junto às várias instituições, organizações, ONGs, espaços que discutem os encaminhamentos, leis, regulamentações e proposições que definem  os rumos de uma categoria, bairro, cidade,estado e pais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 2 =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: