Rapidinho, rapidinho…

Outubro encerrou sua apresentação, fechou as cortinas. E foi uma apresentação cheia de emoções, logo de inicio teve as eleições municipais. É verdade que para alguns, como em Reserva do Iguaçu, estas ainda não terminaram. O povo expressou seu desejo nas urnas, mas a justiça ainda não declarou qual será o veredito. Veredito que às vezes a vida dá, ou melhor, a morte sentencia, como foi o caso do prefeito eleito de Foz do Jordão, que faleceu em um acidente no primeiro dia de novembro. Essas sentenças que vem assim num de repente, num piscar de olhos mudando os rumos da vida, vem para lembrar que é preciso estar com tudo em dia com os que amamos porque pode-se não ter tempo de arrumar a casa. Outubro teve várias atividades nas escolas – Show de Talentos, numa, Nas Asas da Imaginação na outra, em ambas buscando tirar dos alunos o que eles têm de melhor e levando a mais conhecimentos. Mas não parou por ai, teve escola desenvolvendo o trabalho dos Pequenos Empreendedores, crianças hoje aprendendo a ser consumidores conscientes do amanhã, ou mesmo futuros empresários, comerciantes, profissionais liberais organizados e prontos para empreenderem grandes vôos. Claro, teve também lições de cidadania dada pelos jovens estudantes ocupando as escolas de forma organizada e aproveitando o tempo para aprender mais. Jovens que querem dizer mais que não para a medida provisória, que querem de fato ser ouvidos. Que estão gritando aos professores que a luta tem que ser maior que por salário, tem que ser de fato por uma educação de qualidade. E assim, em meio a todas essas emoções, experiências de cidadania e aprendizagem, saímos do Outubro Rosa e caímos direto no Novembro Azul, dos cuidados que a mulher tem que ter com a sua saúde para os cuidados que o homem tem que ter consigo. O que diferencia o Outubro Rosa do Novembro Azul é que no Rosa se trabalha lembrando os cuidados e dos sinais de alerta com a saúde da mulher, já no Azul tem que se trabalhar primeiro a superação de um preconceito bobo e depois sobre os cuidados. E é preciso ficar atento com os cuidados do corpo, da mente e do coração, porque outubro já foi, e num zas-traz novembro se vai e numa piscadela, 2017 está ai e é claro que todos querem viver as emoções do novo ano.


Compartilhe

Veja mais