Tiago: um menino superando as barreiras do virtual

Tiago jogando com os amigos | Foto: Nara Coelho/Fatos do Iguaçu

Criou o jogo Free Fire em uma folha quadriculada

Por Nara Coelho

Tiago Zacarias dos Santos é um menino simples, de 13 anos, que mora na Serra da Cabra com seu pai e madrasta e mais quatro irmãos.  Estuda no sétimo ano do Colégio Estadual do Campo Júlio Moreira.

É um menino franzino, de fala baixa e um olhar inquieto, de quem está querendo ver tudo, sem deixar escapar nada. Segundo os professores, às vezes arteiro.

Tiago tem uma coisa diferente da maioria dos meninos de sua idade, não tem celular, porém viu no celular dos colegas o jogo Free Fire, como gostou de jogar, resolveu criar o jogo no papel. “No iniciou criei assim, tipo uns símbolos do exército, fiz uns primeiros jogos assim nada a ver, ai fui melhorando até criar uns jogos bem show e ai comecei a jogar com o meu amigo Miguel, depois com os outros piás”, contou Tiago de um jeito um pouco encabulado.

O JOGO

Ele contou que o jogo que eles estão jogando agora é o melhor, “Nesse jogo, nós subimos de nível e se tivermos conseguido dinheiro, podemos ir comprando mais armas”, detalhou o criador do jogo.

O jogo é desenhado em uma folha quadriculada, com vários detalhes e legendas que vão indicando onde o jogador está e a sua situação, quais armas ou escudos tem direito e ou amplia a carga dos escudos de defesa e das armas.  A distância entre os jogadores e o alcance das armas é definido pelo número de quadradinhos entre os opositores. Os jogadores se movimentam de cinco em cinco casas em várias direções, pode ser jogado com até cinco jogadores. “Quando estamos bem equipados vamos para a batalha e vence quem abater o inimigo” detalhou Tiago.   

Quando ocorrem as batalhas, o número de tiros e até se o jogador perde a vida, ou onde acerta os tiros é definido jogando o dado, cada lado do dado vai indicar uma determinada situação.

O jogo pode ser jogado em duplas e nesse caso eles realizam batalhas e campeonatos dentro do jogo.

O jogo mostrado na hora da entrevista era simples, feito a caneta, mas a professora Nanci Fátima Polo contou que ele já fez um todo colorido com mais detalhes ainda. Tiago contou que enjoou desse jogo colorido e deu para um amigo.

OS AMIGOS

Vários amigos curtem os jogos que o Tiago cria, mas os amigos Miguel Kieski Snak e Mateus Macedo são os que mais jogam com ele. “Nós gostamos de jogar com ele, quase sempre na hora do recreio a gente vem aqui na biblioteca jogar”, contaram os amigos. Eles têm celular e jogam no celular, mas dizem que jogar no papel é tão divertido quanto no celular, “Aqui é divertido, até porque aqui tem tudo que tem no jogo no celular”, afirmam os amigos.

A bibliotecária Daniele Antunes, contou que quando eles jogam eles vibram e disputam cada jogada, os outros colegas costumam ficar vendo eles jogarem, “Agora aqui na entrevista e demonstração eles estão bem comportados, mas normalmente a disputa é grande, eles se envolvem mesmo com o jogo e forma um círculo em volta deles para vê-los jogando”.

Tiago, muito animado, contou que agora ele criou o jogo Gladiador Glory, “Esse é mais legal ainda, tem mais coisas e vamos passar de fases à medida que vamos abatendo os inimigos ou conquistando armas mais poderosas”.

Faça seu comentário

%d blogueiros gostam disto: