Pinhão: Mestranda da UEM cria petição virtual em prol do Jardim Botânico de Faxinal do Céu

A Biotecnóloga, Tatiane Martins da Silva quando esteve em Faxinal do Céu (na foto com seu namorado) | Foto: Arquivo/Pessoal

Por Nara Coelho

O Jardim Botânico de Faxinal do Céu, localizado na Vila Residencial da empresa Copel, no distrito de Faxinal do Céu, em Pinhão/PR,  nasceu da necessidade de realizar o reflorestamento das área degradadas para a construção da Usina Hidrelétrica de Foz do Areia, a Usina Governador Bento Munhoz da Rocha Neto, hoje a maior usina da Copel, que só no primeiro trimestre obteve de capital explorando a energia elétrica no Paraná, aproximadamente de um bilhão de reais.

HISTÓRICO

Em 1974 a Copel destinou uma área de 10 hectares, na época conhecido como Agrovila, para produção de mudas florestais para as áreas degradadas, algumas árvores frutíferas para fomento ao projeto de desenvolvimento agrícola e plantas ornamentais para utilização no canteiro de apoio à obra e vila residencial. O projeto agrícola não se concretizou.

Em 1978 a área destinada cresceu para 14 hectares e caracterizou-se como um horto de produção de mudas florestais nativas e área de introdução de novas espécies, principalmente ornamentais exóticas de clima temperado. Na década de 90 chegou a 40 hectares, incluindo uma reserva florestal nativa. Passou a ser denominado de Horto Faxinal do Céu.

 Em 2010 passou a ter uma área de 152 hectares e passou a ser reconhecido como Jardim Botânico Faxinal do Céu.

 UM ESPAÇO DE SENSIBILIZAÇÃO E PESQUISA

Hoje o Jardim Botânico de Faxinal do Céu é um espaço onde se encontram coleções botânicas, seleção e conservação de plantas matrizes se consolidando a nível estadual e nacional como um local de preservação da flora local, pesquisa e produção de plantas nativas e das mais diversas regiões do planeta.

O Jardim Botânico, além de ser um espaço onde os olhos se deslumbram e as pessoas se encantam com sua riqueza e diversidade de plantas, flores, cores, sons de pássaros, a cada estação é um novo deslumbramento,  é uma referência para a pesquisa em várias áreas e atrai pesquisadores de diversas universidades.

BATEU O DESEPERO

A Biotecnóloga, Tatiane Martins da Silva, que faz mestrado na área da Biologia na Universidade Estadual de Maringá/PR, está entre os diversos pesquisadores que visitaram o Jardim Botânico, ela esteve em 2019 acompanhada de colegas e professores.

Ela contou que  ao ler a reportagem “Copel: Vilas Residencial de Faxinal do Céu e Segredo estão em via de desativação”, lhe bateu um desespero diante da possibilidade do Jardim ficar sem condições de ser devidamente cuidado, preservado, desenvolver pesquisas ou mesmo diante da precariedade de recursos viesse a provocar seu  fechamento, sentiu que precisava fazer algo e criou a petição virtual, “Salve o Jardim Botânico de Faxinal do Céu-PR, que está no link: http://chng.it/tKFLWRKv .

UMA QUESTÃO SOCIAL

Só pela relevância na área da sensibilização para  a importância da natureza na vida humana e para a pesquisa já são argumentos para que a empresa Copel mantenha o Jardim Botânico e toda a estrutura que está em volta dele, ou seja, a Vila Residencial de Faxinal do Céu, hospedaria, os dois teatros e espaços de pesquisas.

Mas a necessidade da manutenção desses espaços vai além da pesquisa, eles estão diretamente ligados ao viver a geração de renda e subsistência de centenas de famílias.

O que se investe nesses espaços não podem ser considerados gastos, mas pagamento da dívida social que a empresa e o Estado tem com a região ao degradá-la para a construção da Usina.

LEIA TAMBÉM:

Copel: Vila Residencial de Faxinal do Céu e Segredo em via de desativação

Professora da Universidade Federal se manifesta em relação à desativação da Vila de Faxinal do Céu

OUÇA  A   WEB RÁDIO FATOS –  Um novo jeito de ouvir rádio

Faça seu comentário