OUTUBRO ROSA: O mês termina, os cuidados nunca

Foto: Equipe da Clinica da Mulher em Pinhão – Paraná | Foto: Nara Coelho/Fatos do Iguaçu

O mês de outubro é dedicado a alertar as mulheres sobre os cuidados que se deve ter para diminuir os riscos e detectar precocemente o câncer de mama. O mês está entrando na sua última semana e para encerrar as séries de reportagem sobre o Outubro Rosa, o Fatos do Iguaçu foi conversar com o medico ginecologista e obstetra Fernando Capuano, que atua na Clínica da Mulher em Pinhão a nove anos.

O CANCER DE MAMA É EVITAVEL?

Segundo o médico, dos femininos, o câncer de mama é que está em mais evidência, e tem apresentado um maior número de casos, porque se tem conseguido rastelá-lo mais, pois hoje as mulheres tem mais conhecimento dos riscos e da prevenção através dos exames de rotina, que é a mamografia. Como ele tem sido mais diagnosticado, as medidas da saúde pública também estão aumentando, entre elas está a campanha do Outubro Rosa

Se há possibilidade de evitar o câncer de mama, o médico esclarece que é possível diminuir os riscos de incidência. “O câncer de mama está muito ligado aos fatores genéticos e históricos familiares, porém, alguns bons hábitos  podem ajudar a diminuir os fatores de risco, como evitar o cigarro, ter uma alimentação saudável, praticar uma atividade física, combater o excesso de peso, não podemos prevenir o câncer de mama, mas podemos com uma vida mais saudável diminuir os riscos”, destacou.

DIAGNÓSTICO PRECOCE FAZ A DIFERENÇA

O ginecologista reforçou a importância da mulher se tocar, pois descobrir o câncer faz toda a diferença na cura e tratamento, “Hoje nós sabemos que quanto mais precoce o diagnóstico, maior a sobre vida e melhor o tratamento. Quando a lesão é descoberta bem no inicio o tratamento é bem menos agressivo e a chance de cura é muito maior”.

AUTOEXAME

Ele chamou a atenção para o autoexame, “Orientamos as mulheres para que se auto examinem pelo menos uma vez ao mês e preferencialmente uma semana após o ciclo menstrual, a mulher que se toca, vai perceber logo se aparecer qualquer lesão. Percebendo o caroço, a bolinha, ela deve imediatamente procurar o médico, pois somos nós que vamos rastear com exames  e ai diagnosticar se é ou não câncer”. 

SAÚDE PÚBLICA

Doutor Fernando destacou que as mulheres, não precisam se preocupar que a saúde pública hoje tem todas as condições de oferecer-lhes um ótimo e rápido tratamento. “Hoje, pelas normas, quando uma mulher é identificada com o câncer, seja de mama ou de colo de útero, ela começa o tratamento em menos de sessenta dias, na nossa região posso garantir que funciona e funciona bem, o atendimento nessa área é muito adequado. O atendimento ontológico é muito humano, atencioso com a paciente”.

CONSULTA AO GINOCOLOGISTA

Se é importante a mulher fazer pelo menos uma consulta anual ao ginecologista, o doutor foi direto, “Claro que é, se a mulher não vem até nós, como vamos poder fazer o diagnóstico”?

Fernando Capuano, medico ginecologista e obstetra atua na Clínica da Mulher  a nove anos. (Nara Coelho/Fatos do Iguaçu)

Doutor Fernando ressaltou que ainda é cultural no município as mulheres às vezes ter vergonha de vir consultar com um médico, ou mesmo dos maridos proibirem por ser um médico. “Aqui em Pinhão temos a sorte de termos a Dra Vanessa, que é ginecologista, atendendo aqui, isso foi um grande ganho para a população do Pinhão, com isso diminuiu muito essa vergonha das mulheres virem consultar”.

NA MENOUPAUSA

Ele ressaltou que não importa se a mulher já chegou na menopausa ou se já retirou o útero, mesmo assim ela precisa manter a consulta anual ao ginecologista, “ É um grande erro, pois quando a mulher entra na menopausa é comum ela perder alguns fatores de proteção que o seu organismo tinha. Mesmo nessa fase é importante fazer a mamografia e a consulta anual no médico. Bem como fazer o preventivo que previne o câncer de colo de útero, essa mulher deve vir até a Clinica para fazer os exames de rotina, afinal, ela só entrou na menopausa, não deixou de ser mulher”. E que é a mesma coisa para as mulheres que tiram o útero, ela precisa manter os exames de rotina em dia.

“Essa mulher também precisa continuar fazendo o preventivo, até porque às vezes se retira apenas o corpo do útero, outras vezes só o colo, assim, seja qual idade for ou situação, a mulher deve anualmente pelo menos buscar fazer uma consulta aqui com o ginecologista”.

CANCER DE COLO DE ÚTERO

O câncer de colo de útero tem diminuído muito devido às medidas de prevenção e campanhas, rastreamento e vacina, pois  ele está relacionado a hábitos sexuais e à infecção provocada pelo vírus HPV em mais de noventa por cento das vezes, o colo de útero está reduzindo, mas é preciso também se prevenir dele, assim a realização do preventivo anualmente é essencial para a mulher manter uma vida com qualidade e saudável. 

CLÍNICA DA MULHER

Na Clínica da Mulher, além do doutor Fernando Capuano, que hoje atua mais na obstetria, atuam a ginecologista Vanessa Gomes Capuano nas segundas e quartas-feiras, e o ginecologista Carlos Brandão, de segunda a sexta-feira, e  também conta com enfermeiras e atendentes.

As consultas são por agendamento, a mulher que desejar é só se dirigir à Clinica, seja para marcar uma consulta ou realizar o preventivo e solicitar a mamografia.

A ALEGRIA É FUNDAMENTAL

O doutor Fernando falou da força das mulheres que enfrentam o câncer de mama e deixou um recado para elas e familiares, “A primeira coisa mais importante no tratamento do câncer é a alegria, a vontade de viver, isso é parte fundamental do tratamento”

AS GUERREIRAS

 “As mulheres que tem câncer são guerreiras, elas têm uma vontade e uma garra espetacular, claro, uma equipe multidisciplinar as acompanhando é essencial, o apoio familiar é fundamental, mas eu sempre digo a elas: Vejam exemplos em casa e fora dela, mostrando para as outras pacientes que estão enfrentando esse diagnóstico tão sério e agressivo, no começo que é possível vencer o câncer”.

PARABENIZO

“Quero parabenizar as pacientes que não desistem, que lutam com garra, cada vez que faço palestra relacionada a câncer de mama e tem pacientes, elas me ensinam muito, a força que elas têm, eu não tenho e gostaria de ter para enfrentar, as dificuldades,  a  gente às vezes reclama da vida, de pequenas coisa que nos desagradam no dia-a-dia e vemos essas mulheres passando por agravos muito maiores e não se entregam, elas têm, com certeza, muito mais força do que eu e servem de exemplo para mim, e para sociedade”, Fernando Capuano, ginecologista e obstetra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 5 =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: