Rev. Sandro

Quando essa expressão ganha os holofotes, quando está muito presente nas redes sociais, significa que alguém perdeu uma pessoa muito querida, e isso tem sido constante nos últimos meses. Nunca vimos tanto “Luto” nas redes sociais. “Meus pêsames” significa uma manifestação de consolo, de pesar, de condolência para com aqueles que perderam alguém. Causa impacto, dói quando você recebe a notícia de que aquele conhecido, aquele amigo se foi, agora choca muito mais, dói muito mais quando você recebe a notícia que é alguém perto de você.

Quando é o vizinho, o amigo, é um luto diferente, mas quando é alguém mais de perto ainda, é uma dor maior. É diferente a sensação de você falar “meus pêsames’ a alguém, do que você ouvir essa expressão. Embora saibamos que um dia teremos que passar pela morte, nós queremos é viver e queremos que aqueles que estão perto de nós, os nossos familiares e amigos, também vivam. Nestes dias de perdas, em que não podemos estar perto, não podemos dar aquele abraço a família enlutada, temos outros meios de demonstrar compaixão, generosidade e cuidado.

Para quem já passou pela dor do luto, sabe muito bem que a compaixão é um alento nos dias de perda. O fato de saber que há pessoas que se preocupam conosco, que sentem a nossa dor, traz consolo. A grande questão, é que não fomos feitos para sofrer sozinhos, necessitamos um do outro. Na verdade, somos necessitados e necessários, receber apoio e dar apoio, faz parte de nossa caminhada. Há dias em que enxugamos as lágrimas de alguém, mas há dias em que alguém vai enxugar as nossas lágrimas. Há dias em que vamos pegar um pouco da dor do outro, mas há dias em que pessoas vão repartir e sentir a nossa dor. 

A grande verdade da vida é que todos nós, ou já passamos ou vamos passar por situações que não gostaríamos de passar. Por isso, antes de ouvirmos a expressão “meus pêsames”, que possamos desfrutar ao máximo, daqueles que Deus colocou a nossa volta, dando flores em vida, valorizando os encontros, não perdendo tempo com mágoas e picuinhas que não levam a nada. O que esses dias tem nos ensinado, é valorizar sim a vida, que é um privilégio maravilhoso estar vivo, mesmo com todos os percalços do caminho, mas também, é um grande privilégio, a vida daqueles que nos cercam.

Não deixe para amanhã o que pode ser dito hoje, não deixe para mandar depois aquela mensagem de bom dia, aquele oi; não deixe para fazer depois, aquela ligação que será uma surpresa boa para quem está do outro lado. A isso a Bíblia chama de amor ao próximo, uma das máximas da Escritura Sagrada, porque amar ao próximo faz parte do sentido da vida.

Enfim, que em vida possamos nos alegrar com o próximo, ser bênção na vida do outro, celebrar as conquistas, ser ajuda presente nos dias difíceis e ser apoio nos dias de perdas. Que o Eterno Deus traga o consolo e conforto aqueles que receberam a expressão “meus pêsames”, ao mesmo tempo que Deus nos ajude a nos doarmos intencionalmente ao falarmos para alguém, “meus pêsames”.

rev Sandro – pastor da Igreja Presbiteriana de Pinhão

LEIA TAMBÉM:

Cuidado com as notícias politizadas

Limites do bem

Quando isso vai acabar?


Compartilhe

Veja mais