Durante cinco anos, Janet Jackson filmou um documentário e se preparou para compartilhar seus relatos dos momentos mais íntimos de sua vida.

Em “Janet”, que foi exibido nos dias 28 e 29 de janeiro nos canais Lifetime e A&E, a cantora falou sobre tudo, desde sua infância como caçula da família Jackson até os rumores deque ela teve um bebê secreto.

É claro que não poderiam faltar relatos sobre a polêmica performance no Super Bowl de 2004, apelidada pela mídia como “Nipplegate”.

Durante o famoso show de intervalo em que Janet era a estrela, Justin Timberlake foi um convidado surpresa.

Timberlake apresentava seu sucesso Rock Your Body quando parte do top de Janet foi arrancada, expondo seu seio.

Nesse exato momento, Timberlake cantava a frase: “I’ll have you naked by the end this song” (Eu vou ter você nua até o final dessa música, em tradução livre).

Após esse incidente, Janet Jackson foi publicamente envergonhada e sua carreira foi atingida.

Porém, a popularidade de Timberlake subiu.

No entanto, Janet revelou no documentário que ela disse a Timberlake para não divulgar uma declaração sobre o incidente na época.

A CBS, que transmitiu o Super Bowl, recebeu multa imposta pela FCC, e as músicas e videoclipes de Janet ficaram fora de muitas estações de rádio e canais que tinham a CBS (Viacom) como controladora.

Apenas uma semana após o Super Bowl, o convite de Jackson para o Grammy Awards foi rescindido.

Enquanto isso, Timberlake se apresentou, ganhou uma série de Grammys e usou o palco da premiação para fazer um pedido de desculpas público durante a transmissão.

Durante muitos anos existiu a dúvida se o acontecido foi realmente um erro ou um golpe publicitário.

Sobre essa teoria, o irmão de Janet, Tito Jackson, diz no documentário: “Ela não fez isso. Isso não foi algo feito de propósito. Janet não é assim.”

Confira outras revelações do documentário sobre Janet Jackson

O relacionamento com o pai, Joe Jackson

Joe Jackson morreu em 2018 e todos sabiam que sempre foi rígido e acusado por seus filhos de abuso físico, mental e sexual.

Janet disse que tinha suas diferenças com ele quando o assunto era administrar sua carreira.

“Eu queria minha própria identidade, mas naquela época, meu pai estava mudando minha vida e minha carreira e ele era meu empresário… “

“Era difícil dizer não ao meu pai. Para fazer as coisas que eu queria fazer, acho que ele teria que estar fora do meu alcance”, disse Jackson entre lágrimas.

“Eu sabia que tinha que assumir o controle da minha própria vida, queria minha própria identidade, ir por conta própria… Eu tinha que fazer isso acontecer, naquele momento.”

Foi então que ela se afastou do seu pai e lançou “Control” (1986), o álbum que iniciou sua caminhada rumo ao estrelato como uma das estrelas pop mais icônicas de todos os tempos.

No documentário, parece que a cantora quer limpar o nome de seu pai.

“Foi por causa do meu pai que tive a carreira que tive. Foi difícil às vezes. Não havia nada fácil sobre isso, ponto final. Mas quando você vê de onde viemos e onde estamos agora, devemos muito ao meu pai”, disse ela.

David Bowie ofereceu drogas ao jovem Michael Jackson

Depois que o Jackson 5 conquistou o estrelato, a família se mudou para o rico subúrbio branco de Encino na Califórnia, onde moravam celebridades famosas, como David Bowie.

Segundo Randy Jackson, Bowie ofereceu drogas a ele e seu irmão Michael durante uma festa.

“Michael e eu estamos sentados em uma das outras salas longe da festa”, disse Randy.

“Então Bowie entra e… ele nos ofereceu um pouco do que ele estava fazendo para ficar chapado… Nós apenas nos olhamos. Nós ficamos tipo, ‘Não.’ Nós não sabíamos o que era, mas era como, ‘Não, não, obrigado.’”

Janet Jackson queria fazer faculdade de Direito

“Nenhum de nós teve uma infância normal. Minhas amigas foram para a ginástica ou fizeram parte das Escoteiras. Eu queria fazer essas coisas. Mas ainda assim, tivemos que ir trabalhar”, disse Janet sobre seus primeiros dias.

“Eu queria ir para a faculdade e estudar direito empresarial, e ele (Joe Jackson) disse que isso não iria acontecer.”

Com uma leve risada, Jackson acrescentou: “Qual pai não quer que você vá para a faculdade? Mas ele disse: ‘Não, você vai cantar’”.

Ela continuou: “Eu gostaria de experimentar ficar em um dormitório, estar perto de outras crianças…”

Michael começou a mudar com o sucesso de “Thriller”.

“Foi quando tudo começou a mudar”, disse Janet, lembrando-se da época em que o irmão lançou seu álbum de sucesso “Thriller” (1982).

“Pela primeira vez na minha vida senti que era diferente entre nós dois, que uma mudança estava acontecendo”, acrescentou.

“Essa foi a época em que Mike e eu começamos a seguir caminhos separados. Não éramos tão próximos.”

Janet acabou com rumores de décadas de que ela teve um bebê secreto

Nos anos 80, surgiram rumores de que Janet teve um bebê secreto com seu primeiro marido, o cantor James DeBarge.

A história ganhou destaque nas manchetes e noticiários e machucou profundamente a estrela pop.

“Antigamente eles estavam dizendo que eu tinha um filho e mantive isso em segredo”, disse Jackson entre lágrimas.

“Quando eu estava fazendo ‘Fame’, muitos pensaram que eu estava grávida porque eu tinha engordado e estava tomando pílulas anticoncepcionais… então, esse boato surgiu,” diz ela.

“Eu nunca poderia manter uma criança longe de James. Como eu poderia manter uma criança longe de seu pai? Eu nunca poderia fazer isso. Isso não está certo.”

No documentário, Janet revela detalhes sobre seu casamento de curta duração com DeBarge.

Ela conta que ele usava drogas e isso foi um choque para a menina ingênua que ela era e foi o motivo do término do relacionamento.

O primeiro álbum “Janet Jackson” não era o que Janet queria

O álbum “Janet Jackson” chegou em 1982, mas Janet diz que não era o que ela queria.

“Era realmente sobre o álbum deles, o tipo de música que eles queriam que eu fizesse. Eu não escrevi nenhum material. Era apenas uma questão de ir ao estúdio [e] fazer o que eles queriam que você fizesse…

…Eu não queria que meu sobrenome estivesse no álbum, só queria usar meu primeiro nome…

…Queria que eles me aceitassem por mim, que se interessassem por isso por mim e não porque eu era irmão ou irmã. Mas isso é tudo que esta indústria aproveita e eles querem jogar com isso.”

Jackson explica que “Control” (1986) foi o primeiro álbum realmente dela.

A partir desse momento ela começou a tomar as rédeas de sua vida e se definir como a artista que ela queria ser: uma estrela pop revolucionária.

E foi em “Rhythm Nation” (1989) que ela começou a escrever sobre causas que ela se importava profundamente, entregando música sobre justiça social e questões raciais.

Janet queria sair da sombra de Michael 

“Era inevitável, eu acho, mas ela nunca conseguiu escapar disso, mesmo com todo o sucesso que estava tendo”, diz o produtor Jimmy Jam sobre a época em que Janet se tornou uma mega estrela pop com o sucesso de “Rhythm Nation”.

“Eu nunca a ouvi dizer: ‘Quero vencer Michael'”, completou Jimmy.

“Eu sou grata, eu realmente sou. Porque abriu muitas portas para mim ter esse nome”, fala Janet.

“Ao mesmo tempo, há muito escrutínio por ter esse sobrenome – uma certa expectativa. Eu queria minha própria identidade.”

Alegações de abuso sexual contra Michael prejudicaram a carreira de Janet

Janet se abriu sobre como as alegações de abuso sexual contra seu irmão também a afetaram.

Em 1993, Michael foi acusado pela primeira vez de abuso sexual por um menino de 13 anos.

Janet explicou que estava prestes a começar a trabalhar com a Coca-Cola na época, mas quando souberam das alegações, o negócio fracassou.

“Não foi justo, foi frustrante para mim, mas você não pode deixar isso te parar e não parou”, disse Janet sobre a situação.

“Você continua empurrando, avançando. Eu só sabia que queria estar lá para apoiá-lo o máximo que pudesse.”

As alegações foram finalmente resolvidas fora do tribunal e Janet comentou sobre o acordo:

“Ele só queria que isso fosse embora, mas parece que você é culpado. Eu gostaria que meu irmão realmente tivesse deixado o mundo conhecê-lo melhor.”

Michael continuou se afastando da família

Depois que as alegações foram resolvidas, Janet queria mostrar seu apoio a Michael gravando uma música com ele.

“Acho que ele precisava do apoio que eu estava tentando dar a ele com essa música”, diz ela.

janet jackson queria apoiar michael

A gravadora de Michael Jackson tornou as filmagens do clipe Scream uma competição entre os irmãos.
Crédito: reprodução

Mas quando chegou a hora de filmar o videoclipe, ela sentiu que a gravadora de Michael estava tentando fazer disso uma competição entre os irmãos.

“A gravadora dele bloqueava todo o set dele, para que eu não pudesse ver o que estava acontecendo. Eles não me queriam no set, eu senti que eles estavam tentando tornar muito competitivo entre nós dois,” diz Janet.

“Isso realmente me machucou porque eu senti que estava lá lutando contra ele e não ao lado dele. Eu queria que parecesse como nos velhos tempos, entre ele e eu, e isso não aconteceu. Os velhos tempos já haviam passado.”

Em um take emocionante, Janet dirige até a antiga casa de Michael e revela que esteve lá apenas uma vez.

Durante a visita, ela perguntou a Michael se ela poderia abrir para ele uma turnê de reencontro com seus irmãos.

“Ele não tinha muito a dizer, e eu pensei, ‘O que está acontecendo?’ Isso não somos nós. Isso não é família. O que é isso?” ela diz.

“E havia pessoas que queriam mantê-lo onde ele estava, onde eles sentiam que poderiam ter algum tipo de controle sobre ele. Fiquei muito chateada, porque não crescemos assim. E isso me incomoda até hoje.”

A última coisa que Janet Jackson e Michael Jackson disseram um ao outro foi “eu te amo”

No documentário, Janet se abriu sobre a morte súbita de Michael em 25 de junho de 2009.

“No começo, apenas… Não parecia verdade. Não parecia real. Eu não podia acreditar”, diz Janet.

“Minha irmã, Toya, ela me ligou e me disse que ele havia falecido. Então chamei meu irmão Tito. Ele estava dirigindo a caminho do hospital e me perguntou: ‘Jan, ele está morto?’ Eu disse: ‘Encoste na beira da estrada, Tito.’ E ele disse: ‘Ok, eu parei.’ Eu disse: ‘Ele se foi’, e o Tito não podia acreditar”.

Mas Janet também relembrou a última vez que viu Michael e as últimas palavras significativas que eles disseram um ao outro.

“A última vez que nos vimos estávamos fazendo uma festa surpresa para meus pais e toda a minha família estava lá. E ele estava sentado ao meu lado”, diz ela.

“Ele estava rindo como um louco e ele tinha aquela risada profunda. Eu me lembro dele olhando para mim e a última coisa que dissemos um ao outro foi ‘eu te amo’. E essa foi a última vez que o vi… Mas pelo menos eu tenho isso. Sinto falta dele.”

Se você quiser saber mais sobre entretenimento, principalmente filmes e séries, e também sobre games e tecnologia, siga a Cultura Pop no Twitter Facebook.

Fonte: Variety

 


Compartilhe

Veja mais