Herivelton

Terceiro lugar depois de largar em penúltimo lugar

Herivelton Camargo é um jovem de 26 anos, casado com a jovem Daiane Vargas, que no início de agosto se tornará papai de um gurizinho. É um trabalhador da área rural, que tem uma paixão.

A paixão vem dos tempos de piá

Conversando com ele por pouco tempo já se nota como ele gosta de conversa, sobre  sua paixão por motos e corridas.

Ele conta que desde piazinho sonhava em pilotar uma moto e quando fez 18 anos comprou a sua primeira. “Minha paixão é por moto, desde guri tinha muita vontade de ter moto. Adoro praticar motocross, andar de moto, fazer as trilhas, competir, seja velocross ou cross country, é minha paixão tudo que envolve moto”.

Uma parada

Como a vida ficou mais difícil e o motocross não é um esporte barato, Erivelton parou de participar das competições, mas a paixão continuou  e recebendo o apoio da esposa, decidiu voltar a praticar, “Eu andava com vontade de voltar pois é minha paixão e minha esposa me apoiou, me disse que eu devia voltar, e ai voltamos e me sai bem”.

Bed Bebidas, um apoio a mais

Para o campeonato Herivelton  treinou somente 9 dias, mas teve o apoio e patrocínio da empresa Bed Bebidas, “Nossa, ele me deu um incentivo muito grande, fez a diferença, nesse esporte toda ajuda é bem-vinda”.

“É uma emoção que não se explica”

Sobre como é praticar motocross e demais modalidades que envolvem  moto, ele responde rápido e a alegria e emoção é visível em sua voz, “É muito boa, não tem explicação, a gente esquece todos os problemas. A gente se renova, é um esporte que exige muito da gente, os braços ficam moídos e há o risco de se machucar, mas nada é maior que a emoção, mas não tem como explicar a sensação que é estar lá na trilha disputando, é um prazer imenso”.

O retorno

No domingo, 25 de julho, Herivelton com  sua moto crf230 de 2008 voltaram para as competições e  participaram de um torneio no CT Guimarães, próximo ao rio Das Pedras, em Guarapuava.

Participou na modalidade cross country, que envolve tanto pista como trilha, correu na categoria Estreante Nacional e na Força Livre Nacional.

Garra e habilidade fizeram a diferença

Na categoria Estreante Nacional eram 4 voltas e  22 pilotos largaram.

O tombo

Já na largada Herivelton levou um tombo e acabou ficando na penúltima colocação. “Quando cai bateu um desespero, dá vontade de abandonar, só que aí a gente puxa pela garra e vai atrás de tirar o prejuízo”.

15 pilotos em uma volta

No entanto, determinação e habilidades fizeram com que já na primeira volta ele ultrapassasse 15 pilotos, e conseguiu fechar a quarta volta em terceiro lugar subindo ao podium.  “Na saída me fecharam e eu caí, fiquei em penúltimo, eram 4 voltas e eu consegui chegar em terceiro, podei 15 na primeira volta, depois fui equilibrando para podar mais uns e conseguir uma boa colocação”.

Ele também disputou na categoria Livre Nacional onde a disputa foi entre 13 pilotos ele ficou em quarto lugar, “Nessa categoria havia muitos pilotos experientes, foi muito bom o resultado pois corri  com pilotos bem mais experientes que eu”.

Patrocinadores são bem-vindos

Herivelton explicou que as despesas são altas, pois é preciso uma roupa própria para as corridas, equipamento de segurança, kit plástico, inscrição, despesas de viagens, “È tudo caro e ainda tem a manutenção da moto, assim, se alguém ou alguma empresa desejar nos patrocinar estamos abertos a conversar e receber o patrocínio”.

Se alguma empresa desejar patrocinar Herivelton a Fera do Motocross, pode ligar para, (42) 99852 9063

Próxima competição

A próxima participação dele é na 2ª Etapa da Super Copa Integração que acontecerá nos dias 4 e 5 de setembro, no rio Jordão em Guarapuava/PR

Cartaz de Divulgação

CLIQUE AQUI   e veja o vídeo dos treinos e corrida de Herivelton.


Compartilhe

Veja mais