Leandro Martins

Apenas os funcionários efetivos receberão o vale alimentação

Por Nara Coelho

Depois de várias conversas e duas assembleias, os funcionários públicos do municipio de Pinhão/PR decidiram aceitar o vale alimentação que o prefeito José Vitorino Prestes, PSB, propôs conceder, já que declarou que o reajuste de 4,52% que os servidores estavam solicitando não daria devido ao índice da folha de pagamento do Município estar muito alto.

Assembleia do dia 5 de abril

Após negação do prefeito à contraproposta dos funcionários, na qual eles propunham que o reajuste fosse em 3 parcelas, pagas de 3 em 3 meses e mantendo o vale alimentação, a diretoria do Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Pinhão, Sifumpi, convocou os sindicalizados para uma nova assembleia.

O presidente do Sindicato, Leandro Martins, explicou que tentaram por vários canais convencer o executivo, “Nós da diretoria nos mobilizamos enquanto sindicato, várias frentes para discussão e explicação de porque é necessário o reajuste do índice da inflação, conversamos com o legislativo e tivemos várias reuniões com o executivo buscando convencer o executivo do nosso direito e necessidade do reajuste. No entanto, o executivo alegou sempre o problema do índice da folha, a única coisa que poderia conceder era o vale alimentação”.

Assembleia aprova vale de R$ 150,00

Na Assembleia, na sexta-feira, 5 de abril na sede do Sindicato, após muitas discussões a categoria aceitou a proposta do prefeito, contudo, solicitaram que o vale seja de R$ 150,00, R$ 40,00 a mais do que foi proposto pelo executivo por um ano.

Na assembleia, as pessoas votaram pela aceitação do vale alimentação, mesmo sendo concedido apenas aos funcionários concursados na ativa.

O momento não é propicio à mobilização

 Leandro explicou ao Fatos do Iguaçu que o próximo passo seria uma mobilização, mas que devido à pandemia, isso fica inviável, “Depois de tudo que já realizamos, teríamos que partir para uma mobilização, para ela ter força teria que contar com a participação da maioria dos funcionários, mas dentro dessa situação da pandemia fica inviável a realização de uma grande mobilização”.

Diretoria sai triste das negociações

Segundo Leandro, a diretoria sai bem decepcionada das negociações, “Como diretoria do Sindicato, nós brigamos por todos, essa situação proposta pelo executivo deixa fora funcionários contratados e aposentados, mas a assembleia é soberana e decidiu que aceitaria o vale alimentação para os efetivos com a contraproposta de ser de R$ 150, 00, e aguardamos a resposta do executivo em relação ao valor solicitado pelos servidores”, finalizou o presidente do Sifumpi. 

LEIA TAMBÉM:

Prefeito José Vitorino rejeita a contraproposta do Sindicato

Proposta salarial de José Vitorino não abrange aposentados e PSS

Executivo diz que negociará a reposição salarial em fevereiro

 

 

 


Compartilhe

Veja mais