Vista parcial do Paço Municipal de Pinhão - Pr | Foto: Naor Coelho/Fatos do Iguaçu

Prefeito José Vitorino rejeita a contraproposta do Sindicato

Servidores de Pinhão propõe reajuste parcelado, o prefeito diz não

Por Nara Coelho

De acordo com o prefeito José Vitorino Prestes, PSB, do municipio de Pinhão/PR, devido ao limite de gastos com o pessoal que a lei impõe, mesmo parcelado, não será possível repassar o reajuste salarial de 4,52% solicitado pelo sindicato.

VALE ALIMENTAÇÃO

O prefeito mantém a proposta de dar um vale alimentação mensal, por um ano no valor de R$ 110,00.

Devido à legislação, só poderão receber esse vale alimentação os funcionários que estiverem na ativa e forem concursados ou comissionados.

Ficam sem receber o vale alimentação os funcionários aposentados e os PSS, ou seja, os que foram contratados pelo Processo de Seleção Simplificado.

Posição do Sindicato

O presidente do Sifumpi, Sindicato dos Funcionários Municipais de Pinhão, Leandro Martins, informou ao Fatos do Iguaçu que a diretoria do Sindicato solicitou uma nova reunião com o executivo e se não houver alteração da posição do prefeito, no início de abril será realizada uma assembleia para os servidores decidirem o que farão diante da recusa do executivo de dar o reajuste, mesmo parcelado.

Porque assembleia em abril

Devido ao aumento do número de pessoas contaminadas pelo vírus da covid-19, nesse momento fica inviável a realização de uma assembleia, explicou o presidente, “Mas esperamos que no início de abril já haverá condições para chamarmos a assembleia com todos os cuidados de higienização para que juntos possamos decidir o que vamos fazer”.

Compreenda os fatos

Os funcionários públicos municipais do municipio de Pinhão/PR, tem sua data básica de reajuste salarial no mês de janeiro. No dia 7 de janeiro a diretoria entregou ao executivo a proposta dos funcionários.

A proposta

O Sindicato solicitou o reajuste salarial de 4,52%, que equivale ao índice do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) de 2020, que fechou em 4,52%.  O executivo não aceitou a proposta e fez outra proposta.

Proposta do Executivo

O prefeito, junto com sua equipe, alegando que devido o índice da folha de pagamento estar em 53,57% inviabiliza o reajuste e propôs dar por um ano, mensalmente, um Vale Alimentação no valor de R$ 110,00.

Assembleia dos funcionários

No dia 18 de fevereiro, os funcionários realizaram a assembleia, votaram não à proposta do executivo e formularam a contraproposta, na qual eles propunham que o reajuste fosse parcelado em 3 parcelas e cada uma seria dada a cada 3 meses e mantendo o vale alimentação.

Foi essa contraposta que o prefeito José Vitorino não aceitou e manteve a proposta do Vale Alimentação.

Faça seu comentário