Capa e Editorial da Edição nº: 906

EDITORIAL

                   Uma comemoração que não devia ter existido    

Na quarta-feira, o município de Reserva do Iguaçu estava em festa. O motivo não deveria ser de comemoração, mas era, e pela sua importância, merecia uma comemoração em alto estilo e até foguetório. Porém, o motivo era uma ação que deve ser corriqueira nos municípios, infelizmente em Reserva do Iguaçu, ele se tornou mais que especial, virou essencial.

No dia 31 de julho de 2019, finalmente o prefeito recebeu em suas mãos o documento que comprova que a contabilidade do município está em dia, o calvário tinha chegado ao fim. Calvário porque o atual gestor assumiu e não pôde movimentar as contas porque a antiga gestão deixou as contas de um ano e meio sem fechar e pior, destruiu os dados e os sistemas.

É extremamente triste presenciar um prefeito comemorando após dois anos e meio de mandato a organização do setor de contabilidade, pois isso escancara que um ex-prefeito conseguiu governar um mandado inteiro sem certidão negativa e nos últimos dois anos simplesmente não prestou conta a ninguém das verbas públicas e muito menos realizou a contabilidade do município. A pergunta fica como??? Nenhum órgão, seja Tribunal de Contas, Ministério Público, legislativo entre outros descobriu, percebeu essa lambança? Aí vem outra pergunta, será que com toda essa tecnologia ainda não tem como cruzar dados entre verbas e prestação de contas dos municípios?

Claro que o prefeito Sebastião Campos e toda sua equipe tem que comemorar e muito, pois afinal, só agora o município conseguirá acessar os convênios, os créditos para alavancar o município, só após quase dois anos de mandato. Isso por culpa da atual gestão? Não! Essa gestão atual gastou tempo, dinheiro, dedicação e muitas horas de trabalho e passou por muito estresse para limpar, arrumar a bagunça, a lambança que a gestão anterior fez.

A equipe atual do setor de finanças merece aplausos e louvores, afinal, nesses dois anos foram dando as condições mínimas para o prefeito administrar e foram incansáveis até colocarem tudo em ordem, pois todos os dias eles realizaram a contabilidade normal diária e iam organizando o setor, que por descasos de gestores irresponsáveis chegou a ficar com um ano em atraso.

Na verdade, até o dia 31 de julho a atual equipe contábil de Reserva do Iguaçu não soube o que era realizar o trabalho diário rotineiro de uma gestão pública, pois o que era para ser simples e rotineiro esbarrava nos entraves do trabalho não realizado pela gestão anterior. Esperamos que o município de Reserva do Iguaçu nunca mais passe por essa situação, pois, afinal, os munícipes não merecem.

Mas claro que também está nas mãos deles não permitir que isso aconteça, mas aqui já é uma outra conversa. Como se espera que situações absurdas como essas sirvam para que órgãos fiscalizadores como o Tribunal de Contas, Ministério Público, legislativo, corregedoria, revejam os mecanismos de controle. À equipe que limpou a lambança, reorganizou o setor de contabilidade, nossos mais sinceros aplausos e aplausos em pé.

Deixe uma resposta

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: