Humberto Silva Pinho

Por Humberto Pinho da Silva

A pandemia, que veio da China, abalou o mundo, espalhando: terror e medo, nos povos.

Serviu, porém, para alertar a sociedade, para a situação alarmante de idosos, que vivem, em: lares, asilos e casas de repouso.

Desde longa data venho avisando as condições dramáticas, em que vivem muitos dos nossos maiores, nessas casas sombria, chamadas de: lares.

Grande parte deles, não passam de “ armazéns”, onde os velhos (que só dão trabalho e despesas “,) são depositados, esperando, pacientemente, a chegada da Morte: longe de amigos e da sociedade; e muitos, longe, também, da terra onde nasceram…

A coletividade, em regra, preocupa-se com os jovens; dizem: (e com razão,) serem o futuro…

Quando era moço, também, afirmavam: “que éramos o futuro…” Somos sempre o futuro…. Mas, nunca o presente…

Constrói-se, adapta-se: antigos quartéis, seminários, e até conventos, para acolher estudantes – e bem, – e até quartos de hotéis (em Portugal). E os idosos? o que se faz por eles ?

É inconcebível, que os lares se transformem – neste tempo de pandemia, – em “câmaras de morte “ ou de doença, para as “ nossas queridas “ avozinhas.

Compreendo, que os pais e netos, precisem de ganhar a vida… e, por vezes, os “velhotes “, são também, estorvos para diversões… O asilo é a solução…

O que é o lar? Uma enfermaria? Sim: deveria ser; mas não é. É edifício onde os idosos dormem, em quartos coletivos, sem privacidade. Passam os dias de mantinha sobre os joelhos, a ver (a dormir?) TV; e noites, a meditar na triste sina da longa vida; ou a dormir, à força de medicamentos…

Claro que há residências, que a troco de boas mensalidades e jóia elevada, ficam, os utentes, bem instalados; mas, pode o simples trabalhador, entrar nesses “paraísos”?

Fala-se em subir o salário mínimo (em Portugal) – é uma necessidade, – pois mal dá para viver. Mas, os aposentados?

A classe média (os reformados) ainda antigamente, conseguiam hospedar-se em modestos lares; mas tão esmagada está, que não faltará muito, chegarem todos ao salário mínimo…Esperemos que os responsáveis pela mass-media e a classe politica, abordem o aflitivo e vergonhoso problema, desses “ armazéns”, clandestinos ou não… que existem em muitos países.

Deus proteja os idosos (os “cruelmente descartáveis”, como chama – e bem, – o Papa Francisco, na encíclica “ Frateli Tutti”) para que os governantes, deste mundo, não legalizem a eutanásia, ou simplesmente os leve, para a montanha, para morrerem, como narra a revelha lenda ou história moralista…


Compartilhe

Veja mais