Três médicos cubanos devem deixar Pinhão em breve

Foto Ilustrativa ! Arquivo/Fatos do Iguaçu

O Município de Pinhão tem três médicos cubanos atuando dentro do Programa Mais Médicos, que deverão voltar em breve para Cuba depois  que o governo Cubano informou na quarta-feira, 14 de novembro, que deixará de fazer parte do programa.

 A justificativa do Ministério da Saúde cubano é que as exigências feitas pelo governo eleito são “inaceitáveis” e “violam” acordos anteriores.

O presidente eleito Jair Bolsonaro disse, na sua conta do Twitter, que a permanência dos cubanos está condicionada à realização do Revalida pelos profissionais, que é o exame aplicado aos médicos que se formam no exterior e querem atuar no Brasil. 

Outras situações: Também dentro do Programa estão atuando em Pinhão um brasileiro formado em Cuba e um brasileiro formado na Venezuela, casado com uma médica cubana, situações que também devem afetar a permanência em Pinhão porque o presidente eleito Jair Bolsonaro exige que os médicos formados no exterior realizem o Revalida. De imediato, Pinhão perderia cinco médicos até que o Ministério da Saúde realize a seleção para contratar profissionais brasileiros em substituição aos cubanos que fazem parte do Programa Mais Médicos.

A expectativa do ministério divulgada em nota à imprensa nesta manhã de sexta-feira, 16 de novembro, é que os médicos brasileiros selecionados nesta nova etapa comecem a trabalhar nos municípios imediatamente após a seleção, o que deve ocorrer ainda este ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 13 =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: