Feriados cristãos e o cotidiano – nada haver!!!

É interessante observar que certos feriados mexem com o sentimento das pessoas. No natal, as pessoas ficam mais solidárias, ajudam algumas crianças, levam uma cesta para alguém, e outras coisas mais. Na Páscoa, as pessoas cuidam mais de suas tradições e costumes, há uma espiritualidade mais intencional nesses dias. No dia das Mães, postam fotos com a mãezinha querida, abraçam, presenteiam outras mães. No dia dos Pais o mesmo acontece, homenagens, declarações de amor incondicional. Sei que tem muitos feriados, mas termino falando do dia das crianças, dia em que as mesmas, são lembradas através de presentes, e aquelas que não tem uma família recebem uma tempestade de solidariedade neste dia. Onde quero chegar? Pois bem, não tenho nada contra esses feriados, pelo contrário, são dias sim especiais, o problema é, quando deixamos que os dias ordinários não sejam especiais também. Corremos o risco de, no decorrer da caminhada, nos lembrarmos da família, dos pais, do próximo, de Cristo, somente em dias especiais. Alguns amam tanto a Cristo no período da Páscoa e se esquecem tanto Dele nos demais dias. Vão compromissadamente a Igreja neste período, mas esse compromisso não vale para os outros dias. O mesmo acontece em relação a feriados que nos fazem lembrar do próximo. Tem muitos, que, se não fossem esses dias, não se lembrariam dos pais, do cônjuge e dos filhos, não se lembrariam de ajudar aqueles que necessitam. Temos tantos dias para dar um abraço, um telefonema, uma visita, uma boa conversa. Temos tantos dias para ir ao Lar do Idoso, simplesmente para conversar, abraçar, dar um pouco de atenção. Temos tantos dias para fazer uma visita na Casa Lar levando assim esperança e presença na vida daquelas crianças, mas infelizmente corremos o risco de fazer isso somente em datas especiais. Temos tantos dias para falarmos para nosso cônjuge – eu te amo, mas não fazemos. Vamos além, temos tantos dias para pedirmos conselhos a Deus, buscarmos sabedoria, paz, força, ânimo Nele, mas as vezes levamos Deus a sério apenas em datas especiais. Todo dia é dia de fazer o bem, todo dia é dia de amar pai e mãe, todo dia é dia de solidariedade. Todo dia é dia de enviar um eu te amo para os pais, para os filhos, para o namorado, namorada. Que o nosso cotidiano seja marcado por atitudes abençoadoras, e que de fato possamos viver cada dia como sendo especial, buscando e confiando em Deus, sendo solidário ao próximo, a começar pelos de casa. Falando nisso, bons feriados a todos.

Rev Sandro – pastor da Igreja Presbiteriana do Pinhão  – Fone: 3677-1103

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + dez =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: