Eu não aprovei isso, e você?

Alguém já tomou uma decisão por você pensando que sabia qual seria sua atitude, ou nem perguntou o que você achava? Em outras palavras, alguém já aprovou algo, certo de que você também aprovaria? Disse sim, para algo que você diria não, ou o contrário? É válido quando as pessoas lhe perguntam sobre sua decisão, se você concorda ou não, assim as coisas caminham melhor. Onde eu quero chegar com isso? Pois bem, analisando as decisões do Congresso nacional, bem como as inúmeras e impensáveis regalias do STF e outros órgãos públicos, eles não perguntam e não me perguntaram se concordava, se concordo com tudo o que eles fazem e com todas as regalias que eles desfrutam.

Eu não aprovei e creio que nenhum cidadão aprovou também, que as refeições do STF sejam regadas a vinhos caros, que os deputados tenham carros  e tantas regalias a sua disposição, que tenham tantas verbas e tantos assessores. Eu não aprovei o auxílio moradia para os deputados, sendo que há moradias funcionais. Eu não aprovei o número imenso de deputados. É, na verdade há muita coisa que acontece no âmbito do Congresso Nacional e em outras esferas públicas, que jamais seria aprovado pela população. É bom esclarecer que isso não é uma generalização, há pessoas sérias em todas as esferas públicas, mas infelizmente muitos representantes do povo, não representam o povo, apenas seus próprios interesses, e quando fazem algo pelo povo, soa como se eles pagassem do bolso deles, sendo que é dinheiro do povo.

Precisamos estar atentos não somente as decisões tomadas pelos nossos representantes, mas também atentos e muito atentos ao trabalho deles, e muito mais atentos ainda, na hora de votar. A Escritura já alerta sobre uma grande verdade “Quando os justos governam, o povo se alegra, quando os perversos estão no poder, o povo padece” (Provérbios 29.2). É motivo de alegria e esperança saber que tem pessoas que verdadeiramente representam o povo, tomando decisões, com posturas que certamente eu você e todo o povo concordaria.

É triste quando vemos pessoas perversas, não cumprindo seu papel, sendo corruptos, usando a máquina pública para seus interesses, e povo padecendo. Moisés, grande líder bíblico já disse, “o suborno cega até os sábios e prejudica a causa dos justos” (Deuteronômio 16:19). Hoje com tanta facilidade de informações a um toque de seu celular ou computador, podemos estar bem atentos ao que estão decidindo e fazendo para o nosso bem, para o bem da população. Fique atento, não aprove o que não vale a pena. Que os representantes e outras esferas públicas cumpram seu papel e que todos os cidadãos cumpram o seu.

Rev Sandro Carvalho Rodrigues – pastor da Igreja Presbiteriana de Pinhão.

Faça seu comentário