Aliança, votos, casamento

A troca das alianças, bem como as promessas feitas, são o ponto máximo na cerimônia de casamento. Não é por acaso, que as alianças são feitas de um precioso metal, demonstrando assim que o casamento, é valioso (bem mais que o ouro). Embora mais precioso que o ouro das alianças são as vidas que as carregam. O nome do cônjuge na aliança aponta justamente para a pessoa que vai ser amada, cuidada, em todo tempo até que a morte os separe.

Você carrega nos dedos não simplesmente um anel de casamento, mas um símbolo que aponta para algo muito maior e muito mais valioso que qualquer joia – a vida de alguém. O anel, mais do que mostrar que você é casado, é para lembrar e relembrar todos os dias, o que você prometeu no dia que uma aliança foi colocada no seu dedo e o que o outro prometeu a você também, é uma via de mão dupla.

O grande problema é que muitos casais se preparam apenas até o casamento, e se esquecem que na verdade, o casamento é uma aliança para toda a vida. Muda tudo, quando você entra no relacionamento sabendo que é uma aliança duradoura, não uma aliança até a primeira diferença, ou conflito, ou problema.

A promessa de estar junto na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, é uma promessa futura, pois terão sim dias tristes, dias de desânimo, a grande questão é – uma aliança foi feita, e pela graça e com a graça de Deus, essa aliança pode ser cumprida. Um compromisso foi assumido. Infelizmente muitos se casam baseados apenas na louca paixão, se esquecendo assim que a paixão é instável, volátil, agora o amor que deve permear o casamento é desenvolvido diariamente.

No decorrer da caminhada você será tentado, vai ouvir do cônjuge coisas que você não vai gostar, atitudes que não existiam no namoro, e vai falar coisas que não deveria falar também. Nestes momentos você deve reafirmar a aliança que um dia você fez com o seu cônjuge, diante de Deus e de uma turma que você convidou para fazer parte desse momento tão especial.

Deve-se lembrar que os votos do casamento não foram simplesmente uma declaração de amor naquele momento, e sim uma promessa futura, um compromisso para toda a vida. Hoje em dia muitas ideologias querem transformar o casamento numa instituição falida, em nome de uma liberdade que não existe, pois sem o casamento, vemos relacionamentos líquidos, sem comprometimento, usando o outro por um breve tempo, até que uma nova paixão apareça. Interessante observar que os votos de casamento, impedem ambos de fugir diante da primeira dificuldade, criam estabilidade, profundidade, para que o amor se desenvolva, a cumplicidade se fortaleça.

Não sou ingênuo, ao longo dos anos conhecemos os pontos fortes e falhas do outro e o outro também conhece os nossos, e ainda assim há o comprometimento com o cônjuge, isso sim é o casamento. Lembre-se sempre da aliança que você fez com o seu cônjuge, e nos dias difíceis, em que desistir parece ser uma boa decisão, cuidado com a mentira de que existe outro alguém que é a perfeição em pessoa, busque conselhos daqueles que levam sério o casamento, desafiando o tempo e as vãs filosofias; peça força, sabedoria e discernimento ao Deus Todo Poderoso, para manter a promessa das alianças.

Encerro com uma frase de Tim Keller: “a paixão pode leva-lo a fazer uma promessa de casamento, mas, ao longo dos anos, é a promessa que aprofunda e enriquece a paixão”.

Rev Sandro – casado com Silvia Patrícia.

Dia 30 de Agosto – Fortalecendo os laços – um bate papo sobre casamento, à luz da Palavra de Deus – na Igreja Presbiteriana do Pinhão

 

Deixe uma resposta

error: Alerta: O conteúdo está protegido !!
WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: