Precisamos de “Ordem e Progresso”

A proclamação da República ocorreu no dia 15 de Novembro de 1889, na cidade do Rio de Janeiro, capital do Império, na época. Ato este, liderado pelo Marechal Deodoro da Fonseca. Os motivos que levaram a tal fato são muitos, dentre eles se destaca, a crise do regime monárquico, crise econômica, ensino público para poucos, a população não tinha influência nas decisões políticas que envolviam o país, não havia muita ordem e muito menos progresso.

Meu objetivo não é dar uma aula de história aqui e sim fazer um questionamento sobre o slogan que marcou a Proclamação da República e que foi inserido na bandeira do Brasil 4 dias após a Proclamação – Ordem e Progresso. Não quero me ater aqui a influência filosófica do positivismo de Comte, e sim fazer uma breve reflexão sobre o legado da proclamação, para os nossos dias. O que vemos hoje é, “desordem e retrocesso”, totalmente o contrário do lema da Bandeira do Brasil. Por mais que sejamos uma República, os representantes agem como déspotas, tomando decisões que beneficiam a si mesmos. Os investimentos feitos nas diversas regiões do pais, são cheios de desvios, as obras têm o “objetivo” de ajudar a população, mas na verdade os nomes dos políticos precisam estar em evidência, como se tais obras fossem feitas como o dinheiro deles. Assim como na época da Monarquia, os cidadãos precisam implorar uma ajuda, se manifestar, para conseguir migalhas de um governo que faz cortes na saúde, no salário do trabalhador, na aposentadoria daquele que fez tanto por este país, mas jamais, mexem nos seus altos salários e luxuosas verbas.

De fato, “Ordem e Progresso”, se aplica a população, mas muito pouco na esfera política, os representantes recorrem a tudo e a todos, inclusive tentam mudar leis para que eles sejam privilegiados. Vivemos 2 realidades em nosso país, a realidade da população brasileira, que luta contra a esperança, para sobreviver; e a realidade dos políticos, que não se preocupam com a crise, com economia, com combustível, com o SUS, com aposentadoria, com comida, com impostos e outros; vivem num mundo à parte, enquanto que a população grita por dias melhores. Nas Escrituras encontramos um versículo que se aplica a realidade brasileira hoje “Quando o governo é justo, o país tem segurança; mas, quando o governo cobra impostos demais, a nação acaba na desgraça”. Provérbios 29.4.

Precisamos de uma reproclamação da República onde a “Ordem e Progresso”, seja real de fato em nosso país. A Ordem precisa ser seguida por todos, não simplesmente pela população, antes de tudo pelos representantes do povo. Não pode existir uma “Ordem” para o povo e outra para os políticos. Que possamos cobrar a ordem, o cumprimento dos deveres, que o correto, o honesto, o justo seja automático na vida daqueles que nos representam e nas nossas vidas também. Oremos pelo nosso Pais, e que como consequência da “Ordem”, venha o Progresso.

Rev Sandro Carvalho Rodrigues – pastor da Igreja Presbiteriana do Pinhão

 

Receba nossas atualizações

Inscreva-se e logo estará recebendo nossas atualizações

O seu email está 100% seguro. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 8 =

%d blogueiros gostam disto: