Curiosidade: Origens do Dia das Mães

Segundo domingo de maio: dia de homenagear as nossas queridas mamães. Dia de dar flores, presentes, fazer uma visita, aquele almoço em família. Paparicar aquela que representa nossa segurança, nosso aconchego, nosso “norte” na vida. Para alguns, é dia de lembrar com saudades daquela que já não está mais entre nós. Dia de agradecer às mães não de sangue, mas de coração, acolhedoras. E por que não falar de alguns pais que são mães também – eu mesmo conheço um que criou sua filha sozinho! Mas, de onde vem essa tradição?

Os homens pré-históricos, mesmo sem registros escritos, já veneravam a figura feminina, através de estatuetas chamadas pelos estudiosos de “Vênus” As Vênus eram feitas de diversos materiais, dentre eles, argila e marfim. Possuíam contornos femininos salientados como seios alongados e quadrismarcados, o que era uma forma de demonstrar prosperidade, abundância efecundidade. Estudos mostram que essas estatuetas representavam a Deusa MãeTerra, a mãe da fertilidade, e que eram carregadas e utilizadas como amuleto de função mágica. Na Historiografia, a tradição é registrada pela primeira vez na Grécia Antiga, quando se realizava uma festa, na entrada da primavera, em honra de Rhea, a Mãe dos Deuses. A princípio, dava-se pelo mês de março.Na Idade Média, havia também muitas referências a respeito da figura da Mãe, sobretudo o simbolismo judaico-cristão com as figuras de Eva e Maria.

Já na Era Contemporânea, no século XIX, as primeiras sugestões em prol da criação de uma data para a celebração das mães, foi dada pela ativista Ann Maria Reeves Jarvis (Estados Unidos), que fundou em 1858 os MothersDays Works Clubs (clubes onde mães se reuniam em data específica). Seu objetivo era o de diminuir a mortalidade de crianças em famílias de trabalhadores.Após o falecimento de Ann ReevsJarvis em maio do ano de 1905, a causa teve continuidade por meio de sua filha, Anna Jarvis. Em função de homenagear sua mãe e dar prosseguimento aos seus principais ideais, Anna resolveu estabelecer uma data oficial para as mães. Como nunca teve filhos, Anna viu esta oportunidade como uma comemoração especial.

O Dia das Mães teria a proposta de incentivar os filhos a passarem mais tempo com suas mães, agradecendo todo o esforço realizado aos cuidados e carinhos por elas oferecidos e ensinar as crianças o reconhecimento pelo amor e carinho materno. No dia 10 de maio de 1908, Anna e mais um grupo de mulheres celebraram um culto em homenagem às mães na Igreja Metodista de Grafton. Este culto ganhou grande repercussão de líderes da região e chegou ao conhecimento de Willian E. Glassrock, o então Governador do estado de Virgínia Ocidental, oficializando a data de 26 de abril de 1910 em comemoração a todas as mães.

O então presidente dos EUA, Woodrow Wilson, resolveu definir o segundo domingo de maio de todos os anos voltados para a comemoração do Dia das Mães e declarou uma lei nacional sobre a data. Após isso, muitos países também resolveram aderir à festividade e incluíram a comemoração em seus calendários.

No caso do Brasil, o Dia das Mães foi comemorado pela primeira vez em 12 de maio de 1918, na Associação Cristã de Moços de Porto Alegre. Em outros lugares, houve também outros focos de comemoração de mesmo teor, geralmente associados a instituições religiosas. Mas foi somente em 1932, durante o governo provisório de Getúlio Vargas, que o Dia das Mães passou a ser celebrado segundo o molde dos Estados Unidos, isto é, em todo segundo domingo do mês de maio.

Claro que a data ganhou enorme apelo comercial, e os lucros gerados pelas vendas de cartões, flores, presentes, refeições e demais formas de homenagem, se tornaram grandiosos, fazendo dessa data o segundo melhor feriado para o comércio em diversos países, perdendo apenas para o Natal.  Mas, deixando de lado esse lado comercial, que visa apenas o lucro, vamos sim homenagear nossas amadas mães, não apenas neste dia, e não apenas com palavras, cartões e presentes simbólicos. Mas TODOS OS DIAS, E COM AÇÕES no dia a dia, que façam seus corações transbordarem de orgulho e de amor. Que elas tenham todo o reconhecimento que merecem por sua linda missão de gerar vidas!

Ah, e sem esquecer, eu aproveito para homenagear minha amada mãe D. Reni Mendes Correia, minha sogra D. Marli Martins (in memoriam) e a mãe do meu filho, Gislaine Martins Borgo. E à todas as mães leitoras do Jornal Fatos: recebam o meu carinho neste dia, e que as bênçãos de Deus recaiam sobre todas vocês. Felicidades, saúde, e muita vida para vocês mamães!

Viva as Mamães de Pinhão, Reserva do Iguaçu e toda nossa região!

José Carlos Correia Filho professor de História

Fontes de pesquisa:

https://www.sitedecuriosidades.com/curiosidade/a-curiosa-origem-do-dia-das-maes.html

https://brasilescola.uol.com.br/datas-comemorativas/dia-das-maes.htm

https//mundoeducacao.bol.uol.com.br/datas-comemorativas/dia-das-maes.htm

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × dois =

%d blogueiros gostam disto: