Capa e Editorial da Edição nº: 837

Hoje é sexta-feira, tem Feira

Não tem como deixar o dia 8 passar em branco, pois estamos circulando um dia após o dia Internacional da Mulher. E sobre os encantos mil, a fortaleza, a graça, a ternura, a beleza, a intuição, agilidade, expressividade, garra da mulher, existem mil e uma maneiras de ressaltar e homenagear. Mas vamos escolher a determinação das mulheres.

Vamos destacar falando de seis exemplos de mulheres que decidiram que a Feira do Produtor Rural ia dar certo em Reserva do Iguaçu. Porque mulher é assim, depois que resolve, nem Cristo a convence que não dá. A perseverança dessas mulheres Vera, Roseni, Gonçalina, Raquel, Liberaçi e Claudiana, é de se aplaudir e falar delas é mostrar a essência da mulher. São seis mulheres simples, que cuidam da sua casa, da sua família, do seu sitio, ou seja, são como todas as mulheres desse mundão afora com dupla, tripla jornada. Mas resolveram abraçar a causa da Feira do Produtor, e por que decidiram fazer a feira? Para melhorar a renda da família.

Porque mulher é assim, sempre pensando na família, no outro, Mulher é ternura, é carinho, não tem jeito, é assim e pronto. E essas mulheres enfrentaram muitas dificuldades, de chuva a perca de produtos. Enfrentaram a decepção de ver  o trabalho de dias virar em nada, pois nada vendiam no começo. Mas mulher é assim, ela transforma o desânimo, a desilusão em observação, em aprendizagem. E foi isso que essas mulheres fizeram, aprenderam com os erros.

E sem querer fazer grandes coisas, sem complicar ou elaborar grandes teorias ou ficar imaginando grandes atrações para a Feira do Produtor, elas pararam e fizeram o que mulher sabe fazer, que é observar. Observaram que quem vai à feira quer coisa simples, quer produtos frescos, quer diversidade de produtos. Quer coisa que, quando saboreada a gente faz hummmmm. Descobriram que não ter a tal bolacha toda semana não é assim tão ruim, já aguça a vontade do freguês e ele volta na outra semana, que vai ter a bolacha e ai… já leva o repolho, a alface e o cheiro verde. Elas não complicaram, apenas foram aprendendo com as próprias freguesas, que feira tem que ter dia certo e tem que ser toda semana, porque dona de casa se organiza, tem rotina.

E descobriram conversando, sim porque mulher adora conversar e dar risada. Como é lindo uma mulher rindo solto, livre. Entre as conversas com as freguesas, elas descobriram que feira tem que ser o dia todo, pois verdura se compra cedinho, mas guloseimas dá vontade de comer é no café da tarde. Realmente, essas mulheres representam as nossas mulheres, porque são guerreiras, decididas, lindas, dispostas, alegres, mais que alegres, faceiras, são simples, mas, ao mesmo tempo, são empreendedoras.

São empreendedoras com o que tem usando, inclusive o erro para acertar e não lamentar. Elas plantam os produtos, fazem as guloseimas, coordenam e fazem a contabilidade da feira, ou seja, são mulheres construindo uma nova sociedade. Por isso, lá em Reserva a Feira é da Produtora Rural. Mas como são sábias e sabem que ninguém se faz sozinho, elas fazem questão de lembrar que eles, os homens, ajudam muito.

E a nós, cabe aplaudir em pé essas mulheres que aprendem e ensinam E com esse belo exemplo de perseverança, simplicidade, elas estão ai ensinando para quem quiser aprender que, feira não precisa de atração, precisa de atenção às necessidades da freguesia.

Receba nossas atualizações

Inscreva-se e logo estará recebendo nossas atualizações

I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )

O seu email está 100% seguro. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − doze =

%d blogueiros gostam disto: