Capa e Editorial da Edição nº: 817

Editorial

Uma sementinha lá, outra acolá

Com certeza essa é uma edição que vai ser bem lida e vendida, pois, infelizmente, ela traz na manchete mais um crime. Mesmo estando em pleno século vinte e um e com todos os avanços tecnológicos e científicos, o ser humano ainda tem o instinto selvagem à flor da pele. Mas não é dessa situação horrível, de falta de diálogo entre duas famílias que há tempo vem gerando mortes que queremos destacar no editorial. Muito menos a última reportagem sobre o setembro amarelo, que é uma entrevista com o psiquiatra Cleber sobre o suicídio, que é outra tragédia humana. Nem da outra reportagem que vai gerar muitos disse me disse no decorrer da semana que vem. Que vai mexer com o meio político, que é a saída do secretário de Indústria, Comércio e Turismo, que deixa seus motivos muito claros, mas com certeza as pessoas vão indagar, vão buscar motivos irreais, pois o óbvio não costuma contentá-las. Na verdade, aqui queremos ressaltar três reportagens pequenas, que serão lidas por último e sem muita atenção por muitos. A primeira é a ação dos escoteiros com a arrecadação do lixo.eletrônico, uma ação simples, mas de grande importância porque dá destino certo aos entulhos, ao  que ficou imprestável ou caiu em desuso. Essa tarefa simples é fundamental para manter um ambiente limpo, garantir que peças e substâncias nocivas ao ser humano que às vezes compõem os produtos eletrônicos fiquem por ai em qualquer lugar e provoquem tragédias, além de estarem ensinando às crianças e jovens que o lixo é responsabilidade de todos e que é preciso unir esforço para solucionar os problemas que ele provoca. Outra ação é o curso de geléia e doces, não é uma ação de grande vulto, não é um número relevante de participantes, mas é uma ação que qualifica a produção local, que instrumentaliza o produtor e agrega valor ao que é produzido nas pequenas propriedades. A terceira reportagem é a posse do presidente da Fundere no Conselho de Turismo do Estado, que numa primeira olhada de um leitor desatendo pode parecer só um ato político ou um glamour a mais na vida do presidente. Mas esse espaço, se bem ocupado, é muito maior e significativo do que parece, pois pode dar muita visibilidade aos municípios de Pinhão e Reserva do Iguaçu. É um espaço que, se bem aproveitado, pode transformar potencialidades turísticas em turismo concreto. Assim, três sementes lançadas, se forem bem cultivadas, poderão gerar muitos e bons frutos. Porque a experiência e a historia tem demonstrado que, o que leva o desenvolvimento e o crescimento de um município e ou região não são grandes e isolados feitos, mas um conjunto de ações pequenas, bem realizadas por homens comuns, que arregaçam as mangas e vão em busca dos seus sonhos e que não tem medo do  trabalho e sabem que para colher é preciso preparar o terreno, plantar, cuidar e daí colher.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + 15 =

%d blogueiros gostam disto: