Marcos Serpa - Escritor e Compositor

TIRE A MÃO DA MINHA GAITA

Por Marcos Serpa de Lima

Ta faltando coerência

Pra uns índios da querência,

Quando se trata de cultura,

Pois tua moda é diferente

Só viu gaita na frente,

Talvez nalguma gravura.

Acordes de fundamento

Que enriquecem o pensamento,

É o que minha gaita proporciona,

Moda xucra e aporreada,

Sinfonia acalentada

Que muita gente se emociona.

(REFRÃO)

Portanto não leve a mal

Da conversa informal,

Mas falo de coração,

Se tu não sabe tocar

Não adianta manusear,

Da minha gaita tire a mão.

Minha gaitinha é sem luxo

Mas aguenta o repuxo,

Meu tesouro por direito,

Sem minha gaita não sou nada,

Trago ela pendurada,

Encostada em meu peito.

Pra encerra eu repito

Pouca coisa acredito,

Nesse mundão de meu Deus,

Não tem coisa mais certa,

Do que uma gaita aberta,

Ouvindo os acordes seus.

Tema que ofereço a minha amiga Mariana Santana Gaiteira, de mão cheia.

QUARTO MINGUANTE – NOVEMBRO/2019

Faça seu comentário