poesia

Por Marcos Serpa

Pintaram Reserva do Iguaçu

Com as cores mais preciosas,

Azul, branco, verde, amarelo,

Com pigmentos,os mais valiosos,

Pelos campos amaneirados,

Ao pé dum vale pretensioso.

 

Num horizonte a perder de vista

Dum crepúsculo avermelhado,

Num fim de tarde mormacento,

Que se afunila no descampado

Com tons de aquarela perfeita,

Por mãos do criador – guiado.

 

O silencio só é quebrado

Pelo ultimo pio da perdiz

Que batem asa em retirada

Num rasante céu de giz,

Que a gente olha e percebe:

Que ali esta como interdiz.

 

Lua Minguante – Maio/2019


Compartilhe

Veja mais