Foto: Estação Plugfiel/ Divulgação

Plugfield: tecnologia nacional para o campo

Produzida em Curitiba, estação meteorológica oferece conjunto de sensores que coletam dados climáticos, além de módulo que processa e faz transmissão dos dados

Redação Fatos do Iguaçu com Assessoria

Assim como a indústria, o agronegócio tem se transformado digitalmente. A revolução 4.0 chegou no campo, simplificando a forma de trabalho e otimizando os processos de produção – isso desde a tecnologia aplicada às sementes, por meio de melhoramento genético, até o plantio, colheita com maquinários de última geração, precisão e logística.

E quando se fala em plantio ou colheita, uma questão determinante para o produtor rural é o clima. Não é à toa que os produtores rurais buscam ferramentas tecnológicas que façam a medição, com exatidão quanto aos aspectos climáticos. Atenta a isso, a Plugfield foi fundada em 2018, em Curitiba, a fim de oferecer soluções para os agricultores, cooperativas, empresas e cidades inteligentes. A fábrica conta com a estrutura e expertise da Pumatronix, indústria de equipamentos voltados à leitura de placas veiculares e líder nacional para o desenvolvimento, produção e comercialização desses produtos.

Entre os equipamentos está a estação meteorológica Plugfield WS18, que possui um conjunto de sensores para medição de dados climáticos e módulo de coleta, processamento e transmissão de dados. Além disso, um aplicativo para smartphone e uma plataforma web também são disponibilizados gratuitamente para que os produtores possam, com poucos cliques, acessar as informações em tempo real de qualquer lugar.

Hoje, a Plugfield faz parte do grupo Pumatronix, e juntas contam com cerca de 100 colaboradores. De acordo com o diretor comercial da Pumatronix, Thiago Guerrer, que também é um dos sócios e fundadores da Plugfield, a empresa nasceu com o intuito de ser a maior fabricante de estações meteorológicas do país. “Identificamos que havia espaço no mercado, pois não havia um grande fabricante nacional de estações, sendo o mercado dominado há anos atras por tecnologia importada. Foi aí que começamos a projetar estações portáteis, compactas e com um preço bem acessível”, expõe.

Mais do que isso, a Plugfield desenvolveu uma solução que tivesse usabilidade na coleta dos dados. “O grande ideal era desenvolver uma solução compacta e fácil de ser instalada para a captação do microclima, por meio de coordenadas geográficas próprias das regiões. Uma ampla rede de estações meteorológicas, que pudesse ofertar informações em tempo real para a tomada de decisão. A estação coleta todos esses parâmetros climáticos, desde umidade, pressão, temperatura, chuva, vento, rajada da luminosidade, entre outros fatores derivativos como sensação térmica, evapotranspiração e ponto de orvalho. Tudo isso é disponibilizado na palma da mão do produtor, por meio de um aplicativo ou plataforma web”, afirma Guerrer.

Investimentos em PID

Hoje, aproximadamente 20% do faturamento do Grupo Pumatronix é reinvestido em pesquisa, inovação e desenvolvimento de soluções (PID). Além do Brasil, há estações meteorológicas da Plugfield no Paraguai, Bolívia e negociações estão avançadas na Argentina, Chile e no México.

A Plugfield é uma indústria especializada em sensoriamento e a Pumatronix, em análise, captura e processamento de imagens. “Entendemos que, no processo de tomada de decisão, a soma dessas habilidades é fundamental. Já existem imagens e coleta de dados via satélite, sensores que auxiliam na previsão do tempo, e acreditamos que eles podem ser combinados à captura e processamento de imagens, ou seja, usando câmeras de precisão”, diz Guerrer.

Suporte e fabricação nacional

A solução possui suporte e fabricação brasileira – isso garante aos agricultores agilidade na assistência e visitas técnicas, se necessário. Por se tratar de uma solução nacional, o investimento tem menor impacto cambial e favorece condições especiais de pagamento, principalmente aos agricultores, além de linhas de crédito específicas para tecnologia nacional.

O sistema utilizado no equipamento, seja no tocante ao sensoriamento, processamento e comunicação dos parâmetros é desenvolvido por engenheiros brasileiros com expertise em diversas áreas.

LEIA TAMBÉM:

Observatório lança questionário sobre erva-mate

Agrária lidera pool de cooperativas que vão investir R$ 1,5 bilhão em fábrica de malte

Faça seu comentário