Mais uma crônica de Francisco Carlos Caldas

Coisa cruel é a falta de emprego para todos aqueles que ainda  não encontraram uma alternativa de atividade autônoma, inclusive como microempresário individual-MEI, que é uma saída ou atenuante interessante.

No dia 9/01/21, vimos na TV um informe de uma fábrica de brinquedos que estava se instalando em Ponta Grossa, e que abriu 20 vagas, com salário básico  em torno de R$1.300,00, e 500 enfrentaram fila em busca da vaga vagas (disputa 25 por um).

O Processo  Seletivo Simplificado-PSS, do Paraná, com prova escrita ocorrida no dia 10/01/21, era  para 4000 vagas iniciais e 40 mil inscritos (10 por um). A Policia Federal abriu concurso para 1.500 vagas, salários que vão de R$12.000,00 a R$25.000,00, e a disputa vai ser acirradíssima e só os preparadíssimos e concurseiros terão êxito. Inscrições de 22/1 a 9/2/2021.

São assim as disputas. E muitas vezes não basta só um montão de cursos, ou seja, um bom currículo, tem que ter também conhecimento global e  específico. Quando  em 22/01/2006, fizemos o concurso de advogado da Câmara, fomos avaliados em questões de física, de literatura, questão da obra Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis.

E quando tem questões práticas, as vantagens ficam muito favoráveis para os que já atuam na área, ou seja, a experiência que nem todos tem as mesmas oportunidades de adquirir, pois um primeiro emprego foi e é algo árduo na vida da gente. O primeiro emprego deste escriba, foi via um concurso público em 1975, na Rede Ferroviária Federal S.A.-RFFSA., em que tinha 5 vagas e fomos o 2º. colocado, e onde trabalhamos de outubro/1975 a 8 de março de 1981, e que foi importantíssimo em nossa vida, e tenho até os dias de hoje um carinho especial e nostalgia por trem, estrada de ferro, e honra de ter sido “ferroviário”. E pedimos demissão para advogar na Terra Natal.

Quando os meus dois filhos entraram na fase de escolher o que fazer da vida, sempre tivemos preocupações com profissões que dependem muito de emprego. Um cursou Análise de Sistemas, e a filha Enfermagem, ambos na UNICENTRO. O que cursou Análise, conhecimentos de informática foram importantes, mas nunca atuou na área, e sim na área bancária e administrativa, de concursos. A que fez enfermagem é profissional na área e no serviço público, e hoje, a exemplo de outras profissões, há muitos profissionais desempregados e/ou com baixa remuneração.

Há profissões que se você não conseguir um emprego  se vira em outra atividade, daí termos como pai procurado deixar em aberto um plano “B” para filhos. Caso não conseguissem um trabalho de concurso público ou na iniciativa privada, poderiam atuar como autônomos como pequenos produtores rurais nas terras da família, mas nem todos tem essas alternativas e opções.

Você querer trabalhar e não ter um local e atividade digna para isso, é muito cruel. O fazer “bicos”  é um atenuante, mas é muito inseguro e sofrido, mas se tornar um MEI, caprichoso e dedicado na área de atuação, é uma boa saída. Em Pinhão, há extremas dificuldades para se encontrar profissionais para pequenos serviços, como por exemplo na construção civil, reparos de goteiras, problemas hidráulicos, consertar móveis. E muitas vezes, por a pessoa enjeitar ou fazer corpo mole para um ganho pequeno, perde um maior.

Na advocacia que atuamos há mais de 40 anos, tem muitos serviços que na prática, são mais de incômodos e de prejuízos financeiros, mas que o profissional num início de carreira não pode se esquivar, pois se tal ocorrer, são portas que se fecham para outros melhores. É que nem numa carneada, não dá para você querer só o filé-mignon, picanha. Alguém tem que ficar com as carnes de pescoço, o bucho, o sessenta folha e há ainda o aspecto social.

A gente cria descendentes para o mundo, e não para satisfazer as vontades ou compensar frustrações de cada um, mas algumas orientações, encaminhamentos, são importantes e necessários. Dia 10/01/21, por acaso assisti um vídeo de um que conseguiu o emprego, não por fala na entrevista mas pelas atitudes que tomou para chegar até o setor dos recursos humanos-RH, e na conquista foi decisivo, os conselhos e educação, para não dizer “pegações no pé”, muitas vezes tidas como  “implicâncias”,  “chatices” organizacionais  dos pais. Bom caráter, dignidade, o DNA (genética) ajuda, mas é na educação e em cima do tripé: família, igreja e escola e outros virtuosos tripés que se adquire.

No dia 17/01/21, assistido na TV uma matéria sobre o fechamento das 3 fábricas da Ford no Brasil. Direto, mais de 5 mil desempregados. Muito triste.

Francisco Carlos Caldas, advogado,  ex-Vereador, municipalista e cidadão.

E-mail  “advogadofrancal@yahoo.com.br”


Compartilhe

Veja mais