DESABAFO: Vereadores mirins querem ser ouvidos

“Falamos, discutimos e ninguém acata as nossas sugestões. A nossa voz não é ouvida por ninguém”

A sessão ordinária da Câmara Mirim de Pinhão, devido â ausência do presidente, Tiago Prestes de Oliveira, foi presidida pelo vice presidente, o vereador Youssef Ghane Reda, e contou com apenas três pessoas na plateia. Ela foi realizada na segunda-feira, dia 1º de agosto.

A vereadora Gabrielly Fernanda dos Santos Bertão usou a tribuna para agradecer a todos que prestigiaram a Festa Julina da Escola Ironi, onde é aluna. “Foi um sucesso e com a arrecadação superior a R$ 18 mil serão feitas melhorias na escola”.

Nessa sessão dois vereadores suplentes participaram da sessão devido à ausência de vereadores titulares, um deles foi o  vereador Paulo Kaique Rodrigues, que reclamou dos maus tratos que alguns animais vêm sofrendo em Pinhão. “Fomos vítimas de um fato muito triste, um indivíduo que não tem o que fazer na vida acabou ferindo meu cachorrinho com golpe de facão, que poderia deixá-lo sem andar”.

A vereadora Heloisa Mendes dos Santos comentou sobre o espaço que há no pátio da Escola Maristella Tussi, onde é aluna. “Poderia ser mais bem aproveitado com a construção de um parque para as crianças. Pois as brincadeiras são somente de correr. Alguns caem, se machucam, e as mães vêm reclamar, porque eles não têm outras opções”.

A vereadora Ketlyn Schneider Ferreira, outra suplente que participou, aluna da Maristela Tussi, abordou sobre a condição das grades da sua escola, que estão em péssimas condições. “Solicitamos a construção de um muro onde estão as grades”.

E o vereador Youssef Ghane Reda solicitou o apoio de todos para que haja maior interação entre os vereadores mirins e os vereadores atuais da Câmara de Pinhão.

AUDIÊNCIA PÚBLICA

O vereador Alexandre Gotardo apresentou o requerimento onde solicita a aprovação de um pedido formal de Audiência Pública com a finalidade de discussão e esclarecimentos referente à destinação do lixo residual em Pinhão e a real situação dessa problemática até a presente data. Solicita também que o pedido, se aprovado, seja enviado ao presidente da Câmara Municipal para outros encaminhamentos.

Gotardo justificou que parte da população, inclusive os vereadores mirins, não dispõem de informações concretas sobre a destinação do lixo produzido no município. “Normalmente os assuntos que tratamos aqui nunca são dados a devida atenção, falamos, discutimos e ninguém acata nossas sugestões. A nossa voz não é ouvida por ninguém”, desabafou.

Ao final, o vereador Paulo Kaique Rodrigues foi nomeado o crítico da sessão. E ele fez a seguinte consideração: “foi uma sessão produtiva, apesar dos percalços ocorridos, mas são consequências do nosso processo de aprendizado”.

O presidente em exercício, o vereador Youssef Ghane Reda, encerrou os trabalhos e convidou todos para a próxima sessão, marcada para dia 5 de setembro, com início às 18 horas.

Após a sessão, o vereador Alexandre Gotardo já entregou em mãos uma cópia ao presidente do Legislativo, o vereador Osvaldo Lupepsa, o Deco (PSD), a solicitação para que seja agendada e organizada uma Audiência Pública. E explicou ao Fatos do Iguaçu  “Vou  marcar um dia para ser feita esta discussão. Vamos visitar os lixões que estão poluindo Pinhão, o aterro sanitário e discutir a questão de se ter espaços destinados ao lixo reciclável e ao lixo comum nos carrinhos que coletam o material pela cidade”.

Imagens da sessão (Fotos: Gisele de Pádua/Fatos do Iguaçu)

DSCF1409 DSCF1413 DSCF1414 DSCF1418

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 4 =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: