Coxa vai com força máxima, enquanto Athletico aposta em time alternativo no estadual

Paraná e Operário correm por fora e tentam desbancar grandes da capital

Por Paulo Henrique Gomes

A bola vai rolar pelo Campeonato Paranaense 2019 a partir deste fim de semana, com doze equipes lutando pela taça. Maior vencedor da competição, com 38 conquistas, o Coritiba ficou com o vice no ano passado e quer dar uma resposta ao torcedor coxa branca após uma temporada aquém do esperado. O atual campeão, Athletico, quer manter a hegemonia e seguir com o troféu, mesmo com foco na Libertadores. Correm por fora Paraná, Londrina e Operário.

A fórmula de disputa deste ano é a mesma do ano passado, com duas taças. A primeira leva o nome de Barcímio Sicupira Júnior, maior artilheiro da história do Athletico. A segunda homenageia Dirceu Krüger, ídolo do Coritiba que ganhou estátua em frente ao Couto Pereira. As 12 equipes foram divididas em dois grupos, definidos de acordo com a classificação no estadual do ano passado.

No grupo A, estão Athletico, Foz do Iguaçu, Maringá, Londrina, Toledo e Operário. Na outra chave, aparecem Coritiba, Paraná, Cianorte, além dos xarás Cascavel Clube Recreativo e o Futebol Clube Cascavel.

Na Taça Barcímio Sicupira Júnior, os times jogam contra adversários do outro grupo. Os dois primeiros de cada chave se enfrentam nas semifinais e os vencedores disputam a final. Tudo em jogos únicos.

A Taça Dirceu Krüger tem um formato diferente. As equipes do mesmo grupo jogam entre si. Os dois melhores colocados se classificam para as semifinais, mas dessa vez, os confrontos são com times de grupos cruzados. Os vencedores jogam a final.

A fórmula de disputa deste ano é a mesma do ano passado, com duas taças

Caso a mesma equipe ganhe as duas taças, será automaticamente a campeã. Em caso de campeões diferentes, os vencedores disputarão a grande final da competição, em jogos de ida e volta, agendadas para os dias 14 e 21 de abril.No outro extremo da tabela, as duas equipes com o menor número de pontos na soma das duas taças serão rebaixadas. O curioso é que o regulamento prevê que quem ganhar um dos turnos, não pode ser rebaixado.

Equipes

O Athletico é o atual campeão paranaense. O clube conquistou o título em 2018 com o time de aspirantes, recheado de garotos e sem os principais jogadores do elenco. A experiência deu certo e vai se repetir nesta temporada, só que alguns reforços. O goleiro Léo, o zagueiro Bambu, o lateral-esquerdo Nicolas, os meias João Pedro, Matheus Anjos e Marquinho, além da possibilidade de utilização de Felipe Gedoz, todos com jogos profissionais, devem incorporam o grupo que joga o Paranaense.

Já o Coritiba quer o título a qualquer custo. Sem soltar o grito de campeão e com uma campanha abaixo do esperado na Série B em 2018, a pressão da torcida coxa branca é grande. Com a saída de mais de 20 jogadores do plantel, a diretoria mudou o perfil do elenco já para o início da temporada.

Foram contratados jogadores mais rodados e com experiência na Série B. Para 2019, o técnico Argel Fucks já tem cinco reforços confirmados: os laterais-direito Felipe Mattioni, ex-Juventude, e Sávio, ex-Ponte Preta, o lateral-esquerdo Fabiano, do Vitória, o meia Giovanni, que fez excelente temporada pelo Goiás no ano passado, além do atacante Welinton Júnior, que veio do Brasil de Pelotas.

O Paraná, rebaixado como lanterna da Série A no ano passado, passa por uma reformulação no elenco. Mantido no cargo, o técnico Dado Cavalcanti conta com alguns reforços para a disputa do estadual. Os zagueiros Eduardo Bauermann, Junior Timbó e Matheus Lopes, o lateral Éder Sciola, o volante Itaqui, o meia Kadu e o atacante Jenison, que já estão à disposição. Correndo por fora, o Paraná quer surpreender e fazer uma boa campanha no estadual deste ano.

De volta à elite paranaense após dois anos e campeão da divisão de acesso em 2018, o Operário foi um dos primeiros times a iniciar a preparação, ainda em novembro do ano passado. Embalado por dois títulos nacionais seguidos (Série D em 2017 e Série C em 2018), o Fantasma manteve a base da última temporada e aparece como um dos favoritos para surpreender os grandes da capital.

Entre os remanescentes, estão jogadores importantes, como o lateral Danilo Báia, os volantes Peixoto e Chicão, e os atacantes Lucas Batatinha e Bruno Batata. Um dos principais reforços da equipe para a próxima temporada é o volante Jardel, ex-Londrina.

O Tubarão, que quase conseguiu o acesso para a primeira divisão nacional em 2018, terá um time diferente daquele que irá disputar o restante da temporada. A equipe vai seguir a estratégia utilizada pelo Athletico e jogará o Campeonato Paranaense com uma equipe alternativa.

A ideia é utilizar o estadual como laboratório para as categorias de base. Na reapresentação do clube, 28 atletas marcaram presença para o começo dos trabalhos de pré-temporada, alguns deles retornando de empréstimo e que devem fazer parte do grupo comandado pelo técnico Alemão, do time sub-19.

As novidades são os goleiros Matheus Albino, ex-Joinville, e Emerson, ex-Paysandu, o zagueiro Augusto, que já passou pelo Palmeiras e pelo Santa Cruz, o volante Junior Ramos, ex-Bahia, e os atacantes Weverton, que atuou pelo Brusque na última temporada e já passou pelo Tuba em 2013 e 2015, e Luidy, que defendeu o São Bento em 2018.

Como o Atlhetico disputa a Série A, Coritiba, Paraná, Londrina e Operário jogam a Segundona, e Cianorte, Maringá e Foz do Iguaçu já estão garantidos na Série D, as vagas para a quarta divisão nacional de 2020 estão em aberto. Elas serão destinadas aos melhores colocados no estadual que não estejam classificados para disputar nenhuma divisão do Campeonato Brasileiro no próximo ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + 20 =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: