Cibele trata de cães que vagam pelas ruas

Alguns doentes, outros famintos ou abandonados por seus donos

Quem passa pela rua Expedicionário Amarilio, esquina com Antônio Tussoline, já percebeu que dentro de uma pequena garagem há alguns produtos de artesanatos à venda como lixeirinhas para carros e vasos de flores feitos com materiais recicláveis. Esta foi uma das opções encontradas pela missionária da Igreja Assembleia de Deus, Cibele Wischral, para conseguir recursos e, assim, poder de forma temporária cuidar de alguns cachorros que encontrou vagando pelas ruas de Pinhão. Alguns doentes, outros famintos ou abandonados por seus donos.

“Sempre gostei muito de cachorros e quando tomamos a decisão de sair da cidade catarinense de Itapoá para residir em Pinhão, eu e meu marido Ulisses Wischral trouxemos quatro animais. Na noite que chegamos ouvi um barulho estranho e fui ver o que era e depois de quase uma semana encontrei a Costela muito debilitada e comecei a tratá-la. Em seguida veio o Brasão. Um dia meu marido me trouxe o Polaco, que estava atropelado e muito machucado. Eu não conhecia ninguém para pedir auxílio, até que uma pessoa me indicou a Solange Borcart. Ela me ajudou e levamos no veterinário para medicar. Mas como o Polaco não tinha com quem ficar, acabou vindo para minha casa. Depois veio o Prejuízo, que passei a chamá-lo de Pepolino, também o Alemão e a Jade”, conta Cibele.

RECURSOS

A missionária conta com a ajuda de amigos e das redes sociais para divulgar seus artesanatos e, assim, pode alavancar uma renda para tratar dos animais. Ela conta que nestes 18 meses que mora em Pinhão conseguiram com que 14 cachorros encontrassem um lar, todos estavam bem sadios e vistosos.

Hoje tem 10 cães em casa, mas não tem espaço físico e o imóvel não é próprio para poder acomodar mais. “Procuro dar uma boa alimentação e um lugar confortável até que eles sejam adotados. Mas, não posso receber mais animais, pois se não tiver como cuidar eu não pego. De momento estamos precisando de madeira e pedra brita para melhor acomodar estes que moram comigo. Divulgar a venda do artesanato na minha garagem foi uma sugestão de uma conhecida e está dando muito certo. Com o montante podemos pagar a loja agropecuária e comprar ração”.

Cibele se divide entre os trabalhos domésticos, o cuidado com os animais, a propagação missionária e a produção de seu artesanato. Ela convida quem desejar conhecer seus produtos. Podem fazer uma visita, sua casa fica em frente da Farmácia Básica da Secretaria de Saúde, também pelo facebook ou pelo telefone (42) 9875 6481.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × quatro =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: