Capa e Editorial da Edição nº: 859

Sorrir, dialogar, lançar a semente…

Sorrir é algo fundamental para o bem estar pessoal, ele move muitos músculos da face humana, ao sorrir, exercita-se os músculos do rosto evitando as rugas. Sorrir é injetar adrenalina no corpo provocando doses de energia.

Sorrir é promover o bem estar da alma. Sorrir para a vida é avisá-la que se está pronto para receber tudo de bom que ela tem e também para enfrentar os obstáculos que ajudam a pessoa a crescer e se fortalecer. Outra coisa muito importante na vida é dialogar, conversar.

Seja sobre os problemas pessoais com os amigos, seja discutir de forma consciente os problemas da família, da comunidade, do município. Dialogar significa ouvir, argumentar, pensar junto sobre uma questão. Quando ocorre o diálogo, não se busca o convencimento, o sair vencedor, muito pelo contrário, supõe-se que a ideia não é convencimento, mas consenso e bem estar de todos.

Bem, se sorrir e dialogar faz bem a pessoas e comunidade, se juntar esses dois pontos e mais a boa vontade, a decisão de realizar, de fazer pelo outro e com o outro, o resultado com certeza será de um grande plantio de boas sementes. Sementes que levarão à formação de pessoas mais felizes e de bem com a vida, de uma sociedade mais justa e que congrega a todos e promove o bem estar coletivo.

Até aqui, o leitor deve estar pensando que essa semana o editorial está assim, podemos dizer, meio poético, romântico e utópico. Ledo engano, caro leitor, o editorial essa semana quer ressaltar duas ações pequenas que, à primeira vista parecem detalhes e sem grandes resultados. Quando na verdade é o conjunto dessas pequenas sementes lançadas hoje que vão permitir fartas colheitas lá na frente.

Claro que essas pequenas ações exigiram que as pessoas e instituições saíssem de sua zona de conforto e se dispusessem a caminhar em direção ao outro e enfrentar as dificuldades que esse caminhar traria.  Até a natureza já mostrou que é do trabalho quieto e pequeno da gralha azul que as araucárias vão surgindo majestosas ali e acolá.

Assim é feita a vida e sua modificação em pol do bem comum, das pequenas ações aqui e acolá como a da equipe de jovens da igreja Presbiteriana de Pinhão, que desenvolve um projeto com crianças de cinco a doze anos. Um encontro mensal que faz com que as crianças reflitam sobre suas escolhas, os valores e o bem comum, à primeira vista parece uma atividade qualquer, feita para ocupar o tempo.

Mas, é de pequenas sementes como essa que vão talhando os cidadãos de bem do futuro, mais que do bem, que se preocupam com o outro e com o bem estar de todos. Sim, sorrindo, brincando, essas jovens vão plantando um novo jeito de ver e se relacionar com a vida e com o outro.

Quando o paço municipal desce do seu pedestal e vai lá, na casa dos empresários conversar com eles, dialogar e buscar  construir ações conjuntas visando o bem de todos, é sinal que novos tempos se anunciam.

No entanto, para que a semente dê bons frutos tem que ser adubada com planejamento e espalhar o calcário da organização e regá-la com muita água da concretização para que a semente lançada hoje se torne fonte de renda, emprego e bem estar social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + vinte =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: