Preconceito às avessas

A definição mais simples e prática de preconceito é a opinião que você faz de algo sem um exame, sem considerar os fundamentos e tudo mais. Sei que existe, infelizmente, muito preconceito em nosso país, mas também, há um uso indiscriminado da palavra preconceito. Há uma definição pobre e burra de preconceito, onde qualquer opinião contrária, qualquer posicionamento contra cultural, é visto como preconceito. Veja o caso da exposição do Museu de Arte Moderna em São Paulo, do “homem nu” sendo tocado por uma criança, vários segmentos estão defendendo algo tão tosco e ridículo como arte, e assim tratando a maioria da sociedade que foi contra, como preconceituosa (o mesmo aconteceu com a amostra envolvendo o grupo Santander). Não é preconceito você defender a família, não é preconceito você zelar pelas crianças, não é preconceito você discordar de algo que nunca foi e nunca será arte. Não é preconceito você ser contrário a certas aberrações “artísticas”. Infelizmente falta arte a arte. Sinceramente tem que ser muito “tapado”, para considerar os fatos acima citados como arte. Não é preconceito ser contra a ideologia de gênero ensinada nas escolas. Percebo que hoje vivemos um preconceito as avessas. Se você defende certos princípios e valores, é preconceito. Quem disse que, somente porque sou contrário a certas ideias, sou preconceituoso.  O problema hoje, é que a palavra preconceito sai com uma facilidade, principalmente daqueles que são rasos em seus argumentos e não sabem lidar com a opinião contrária. O que existe hoje é um preconceito às avessas, onde você não pode ser contra nada, senão é preconceito; mas é o preconceito daqueles que defendem certas ideologias e valores questionáveis. Em nome de um ideal, muitos grupos banalizam a fé, os valores e princípios milenares, deturpam valores, com argumentos rasos e incoerentes, e chamam os outros de preconceituosos. O que precisamos de fato, é nos posicionar com equilíbrio e cuidado, sem preconceitos, e sim com fundamentos, a favor do que é certo e correto, mesmo que isso vá contra certas ideologias. Devemos estar atentos e abertos as mudanças de nosso contexto pós-moderno, mas, devemos tomar cuidado com tudo aquilo que quer descontruir valores e princípios que sempre existiram e que devemos defender, mesmo que contrarie alguns pensamentos vigentes. Não é porque é tradicional que não vale e não porque é novo que vale. Reflita antes de falar e agir, e, antes de chamar alguém de preconceituoso, cuidado que o preconceito pode estar em você.

Rev Sandro – pastor da Igreja Presbiteriana do Pinhão

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + 9 =

%d blogueiros gostam disto: