Setembro amarelo – viva a vida

Estamos no chamado Setembro Amarelo, um alerta a população em geral quanto ao suicídio. É alarmante o número de suicídios registrados em nosso país, inclusive em nosso município.

Precisamos refletir sobre a vida que levamos e sobre a atenção que damos ao nosso próximo. A depressão, por exemplo, se não tratada, pode levar ao suicídio. Alguns anos atrás a OMS fez uma projeção que em 2020 a depressão iria matar mais do que a Aids.

A depressão não é brincadeira ou frescura, como alguns desavisados afirmam. Outra questão perigosa em nosso contexto pós-moderno é A síndrome de Burnout, excesso de trabalho, pessoas tem um colapso pelo excesso de coisas que tem que fazer, resolver e devido a uma agenda extremamente pesada, muitos, tem uma estafa mental, paralisam.

O grande problema é que no afã de ter, de querer mais e mais, muitos se enchem de trabalho e não cuidam de si mesmos. Nós não somos máquinas, precisamos estar atentos ao nosso ritmo, estar atentos ao tempo – tem hora de trabalhar e tem hora para descansar.

Precisamos também, atentar para o nosso próximo, aos sinais que o outro dá, de que não está bem. Devido a um contexto extremamente autocentrado, as pessoas, tem dificuldade de conversar, estão preocupadas apenas consigo mesmas.

Percebe-se que muitos diálogos e conversas, ficam apenas na parte rasa, não tem profundidade. Conversamos sobre futebol, política, e outros, e nos esquecemos de perguntar como o outro está. Nem sempre as fotos felizes das redes sociais demonstram felicidade real.

Muitos escondem suas angústias, para parecerem bem aos outros e muitos dão sinais sim pelas redes sociais, pelo silêncio, pelas poucas palavras, que não estão bem, a esses precisamos sim dar atenção, conversar, alegrar, estar junto. Que não somente em setembro, mas todos os meses possamos cuidar de nós mesmos e estar atentos ao nosso próximo, a nossa vida é preciosa e a dos outros também.

Não sejamos omissos com a nossa própria vida e com a vida dos outros. Compartilhe as suas lutas, não tenha medo de mostrar suas limitações. Saiba que não existe Super-Homem ou Super-Mulher. É quando aprendemos a compartilhar as nossas inquietações que descobrimos que outros também passam por dificuldades e assim juntos, aprendemos que a vida é preciosa, mesmo naqueles dias difíceis.

Acima de tudo precisamos voltar os olhos para Aquele que é o Caminho a verdade e a VIDA – JESUS. Ele mesmo disse que veio trazer vida e vida em abundância.

Em Cristo encontramos força e vida para continuar, para cuidar de nós mesmos, e nos outros, encontramos um braço amigo para compartilhar as nossas lutas e assim viver a vida encarando os desafios e dilemas da caminhada. Viva a vida.

Rev Sandro – pastor da Igreja Presbiteriana do Pinhão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 2 =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: