Francisco Carlos Caldas

Na legislatura 2013-2016, quando estivemos Vereador em 3º. mandato, era praxe usarmos o espaço da Palavra Livre das Sessões, para  rápidas prestações de contas das ações da semana, e vezes ou outra abordávamos sobre algum assunto específico. Uma vez lemos na Revista Veja, uma reportagem sobre o empresário Antonio Ermirio de Moraes, do Grupo Votorantim e tive inspiração de fazer uma resumo sobre a vida e obra desse empreendedor, e por o mesmo ser de direita, fui em Rede Social (Reclama Pinhão), atacado, como se estivesse perdendo tempo ou falando bobagem, pois, na visão de um  crítico quem quisesse saber algo da vida desse homem, era só entrar no Google, ou algo assim.

Em outras palavras, até no espaço de Palavra Livre, era atacado na minha atuação e indiretamente a minha liberdade (coisas da politicalha, espécie de patrulhamento ideológico, censura, SNI;  não de política, que é a arte do bem comum, do possível, do bem governar).

Hoje, aqui fazemos um pequeno enfoque sobre o filósofo chinês Confúcio, que viveu nos anos de  551 a 479 a.C.,   e que tem muitos de seus ditos, que norteiam e dão rumo a nossa filosofia de vida. Entre outros,  e numa espécie de “palinha”, e para compartilhar reflexões bebericadas,  transcrevemos abaixo, alguns que constam do nosso ABECEDÁRIO FRANCISCANO, que não faz mal que ocorram ataques, críticas, pois o importante é mexer com a massa cinzenta de cérebrosa técnica  Brainstorming (tempestade de ideias​) e despertar e aprofundar reflexões sobre atos e sentido da VIDA:

ADAPTAÇÃO – “Você não pode mudar o vento, mas pode ajustar as velas do barco para chegar onde quer.”

ATENÇÃO – “Preste atenção no que faz, jamais considere nada indigno de sua atenção.”

ATOS – “Aja antes de falar e, portanto, fale de acordo com os seus atos.”

CONSCIÊNCIA – “Quando vires um bom homem, tente de imitá-lo; quando vires um homem mau, examina a ti mesmo.”

CONHECIMENTO – “A essência do conhecimento consiste aplicá-lo, uma vez possuído.”

CORAGEM – “Saber o que é correto e não o fazer é falta de coragem”.

CORREÇÃO DE FALHAS “Não corrigir falhas é o mesmo que cometer novos erros.”

EXIGÊNCIAS – “Exige muito de ti mesmo e espere pouco dos outros. Assim, muitos problemas te serão poupados.”

GLÓRIA – “A maior glória não é ficar de pé, mas levantar-se cada vez.”

HÁBITO – “Pior do que ter mau hábito é não ter hábito algum.”

IDEIA – “Se você tem uma laranja e troca com outra pessoa que também tem uma laranja, cada um fica com uma laranja. Mas se você tem uma ideia e troca com outra pessoa que também tem uma ideia, cada um fica com duas”.

LUZ – “Até que o sol não brilhe, acendamos uma vela na escuridão.”

MORTE – “Para quê preocuparmo-nos com a morte? A vida tem tantos problemas que temos de resolver primeiro.”

NEGLIGÊNCIA – “Não são as ervas más que afogam a boa semente, e sim a negligência do lavrador.”

NOBREZA – “O homem nobre é exigente para consigo mesmo; o homem vulgar mais ou só para com os outros.”

POLÍTICA – “Coloque a lealdade e a confiança acima de qualquer coisa; não te alies aos moralmente inferiores, nem receie corrigir teus erros.”

PASSADO – “Compreenda o que passou para encarar o que está por vir.”

PREGUIÇA – “A preguiça caminha tão devagar, que a pobreza não tem dificuldade em a alcançar.”

REFLEXÃO – “Ouvir e ler sem refletir é uma ocupação inútil.”

TRABALHO – “Escolha o trabalho que gostes e não terás de trabalhar um único dia em tua vida.”

SILÊNCIO – “O silêncio é um amigo que nunca trai.”

SOLIDÃO – “A virtude não habita na solidão: deve ter vizinhos.”

Para encerrar,  tempos atrás ouvimos uma outra crítica de uma leitora de nossas crônicas: o que você escreve, é quase tudo mesma coisa, e parece que não com ideias próprias, fica meio que só abordando o que os outros já disseram, e quase nada inédito. E a crítica foi e é construtiva e  verdadeira, pois, quase tudo o que já pensei e penso nesta vida, outros já pensaram e na linha do “Sei que nada sei”  do filósofo Sócrates, e quando mais leio, estudo e faço reflexões, mais me conscientizo da minha imensa e eterna ignorância.

Não se reinventa a roda; pouco se cria e muito se recria é importante ter por divisa o verbo aperfeiçoar, e pensar/refletir bastante antes de decisões. E na lápide de nosso túmulo se não for cremado, vai ter  sentido:  “Aqui jaz um ser que muito pensou e escreveu”. Esta é a crônica de nº. 606. Perto das 10.229 do professor José Wanderley Dias, nascido em 26/2/2025  e que faleceu junto com a esposa em acidente automobilístico no dia 9/7/1992, é pouco.

Francisco Carlos Caldas, advogado,  municipalista e cidadão. E-mail  “advogadofrancal@yahoo.com.br” 

LEIA TAMBÉM

CADA LOUCO COM SUAS MANIAS

PENSAMENTOS E PLANEJAMENTOS

MULHERES NO COMANDO

 

 

 


Compartilhe

Veja mais