RECANTO DO GAUDÉRIO: GUAMPA TORTA

(Fábio Conceição – Marcos Serpa)

Índio velho, guampa torta

vaqueano, de lida em lida,

ás vezes, não acha a porta

mesmo assim, não quer guarida,

entanguido num capão

e se enfurna mato a dentro,

só um pelego no chão

pra mostrar, que tem aguento,

mesmo escasso dos pano

vem com sobra de tutano,

deitado ali no relento.

A noite fria passando

numa infinita quietude,

segue enrodilhado cochilando

sem que a feição mude,

no poente a lua prateada

relampeia a claridade

e sobre a grama orvalhada

brilham as gotas da saudade

de um tempo que se foi

a casco de pingo e de boi

talhado na liberdade.

Neste sonhar irreverente

nas glórias que lhe pertence,

pede a Deus benevolente

na sua fé que tudo vence,

que numa arraigada de sorte

na vida de uma esticada,

pra espantar sua morte

numa dessas madrugadas,

pois ainda há um par de esporas

que reponta as auroras,

em suas botas pendurada.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 3 =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: