REALISMO ESPERANÇOSO

        Influenciado pelo professor e dramaturgo paraibano Ariano Suassuna, autor do Auto da Compadecida, e que viveu nos anos de 1927-2014, em relação ao ano de 2021, e 2021-2014, estamos realista esperanço, já que o otimista é em regra um tolo, um iludido, desinformado;  e o pessimista, um chato. Além do que “Nenhum pessimista jamais descobriu os segredos das estrelas, nem velejou a uma terra inexplorada, nem abriu um novo céu para o espírito.”, na palavras  da grande Helen Keller,  escritora norte-americana que viveu nos anos de 1880-1968, e que inspirou parte do prenome da minha filha.

      Por limitações de conhecimento, atenuantes e soluções dos problemas que que convivemos e uns que nos afligem, e como municipalista nos últimos anos, só temos foco para os Municípios de Pinhão e Reserva do Iguaçu,  em que temos atividades. Em ambos estamos realista esperançoso.

      Em Pinhão foi eleito e será Prefeito, o Sr. José Vitorino Prestes, que é um vencedor, pois venceu uma eleição como Vice-Prefeito em 1992, e três eleições de Prefeito (2004, 2008 e 2020). Só perdeu como candidato a eleição de 2000. E o Vice-Prefeito eleito, Valdecir Biasebetti,  é um ser respeitável, e tem a experiência de anos de atividade militar, e também por já ter atuado de Vereador e atividade rural.

       Nas eleições de 2020, Zé Viturino como é mais conhecido,  enfrentou duras batalhas, e essa garra, determinação, e o seu jeito simples, se identificou muito com a população e alguns segmentos viram nele um meio viável para tirar o PT do Poder. Com a experiência adquirida, em  alguns meses do governo nos anos de 1993-1994, e como Prefeito nos anos de 2005 a 2012, e desde que tenha uma boa equipe de Secretários e assessores, e apesar problemas no quadro de PESSOAL, tem plenas condições de fazer um bom governo.

        Em Reserva do Iguaçu venceram Vitório Antunes de Paula e José Maria Lustosa Mendes, que têm a experiência de Vereanças e Secretarias, respectivamente, e como profissional de contabilidade e o outro como engenheiro agrônomo e produtor rural. Têm tudo para fazer um bom governo, pois vão pegar o Município em  melhores condições do que Sebastião Almir Caldas de Campos, pegou a Prefeitura em 1º/01/2017.

         Em ambos os Municípios ficamos e estamos na oposição,  mas como cidadão e na nossa atual insignificância política, vamos torcer e ajudar  com as nossas naturais limitações os novos dirigentes atuarem como gestores, pois sendo os Municípios bem geridos  todos ganhamos, e principalmente os mais vulneráveis que são os que mais precisam do Poder Público, e que a democracia é o tipo de governo que está mais de acordo com a condição social, livre e racional do homem, e que a liberdade política é bem atrelada a liberdade econômico-financeira. E como é bom ser livre, para ter posicionamentos.

        Assim encerramos o pandêmico 2020 e a crônica de nº. 580, com votos de um próspero e satisfatório 2021 a todos, e o maior número possível de momentos felizes. E que a felicidade é e pode ser “Um par de botas”, como um escrito sobre Realismo, da lavra do genial escritor carioca Machado de Assis, que viveu nos anos de 1839-1908, e entre tantos feitos, autor de mais de 600 crônicas, 10 peças teatrais, 200 contos e 10 romances, entre os quais Dom Casmurro, da fascinante  e amada platônica Capitu.

           Francisco Carlos Caldas, advogado,  ex-Vereador, municipalista e cidadão.

E-mail advogadofrancal@yahoo.com.br

Faça seu comentário