Professores cancelam aulas e provas na UFPR após confirmação de ameaça de atentado

Foto: Reprodução

Redação Fatos do Iguaçu com site BEM PARANÁ

Professores de alguns cursos da Universidade Federal do Paraná  (UFPR) encaminharam aos alunos comunicados cancelando aulas e provas previstas para serem aplicadas nesta quinta-feira, 11. A ação ocorre no dia seguite a confirmação de que a UFPR teria recebido ameaças de atentado. Oficialmente a instituição, por meio de nota, afirma que as atividades gerais foram mantidas. No entanto, alunos relatam um grande número de faltosos 

O cancelamento das aulas foram confirmados por três estudantes de cursos das áreas de exatas — Ciências da Computação, Engenharia Civil e Estatística.  Os três cursos têm aulas no Campi do Centro Politécnico da UFPR.  Mas há outros alunos do Politécnico que tiveram as aulas mantidas. 

Na noite desta quarta-feira, 10, cerca de uma hora após a UFPR publicar uma nota confirmando as ameaças, um princípio de tumulto teria ocorrido no campus Santos Andrade. Segundo a instituição, o prédio histórico não foi evacuado, mas houve uma reação de alunos que decidiram deixar o prédio e fechar a entrada principal. Eles seriam alunos matriculados nos cursos de Direito e Psicologia.

Até o começo desta tarde de quinta-feira, 11, as informações oficiais são da nota enviada à comunidade no início da noite desta quarta-feira, 10.  A Universidade reforçou que o calendário acadêmico foi mantido e que acionou preventivamente a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e as polícias Federal, Militar e Civil. A instituição também reforçou a segurança interna dos campi. Em nota, a instituição também afirmou que “destacou uma equipe interna para ajudar na investigação e tenta apurar se esta ameaça veio de algum membro interno ou externo”.

Ameaças escolas Paraná

As ameaças de ataques às instituições de ensino no Paraná ocorrem às vésperas do aniversário de um mês da tragédia de Suzano.  No massacre na Escola Estadual Raul Brasil, que deixou 10 mortos , foi no dia 13 de março, entre eles os dois assassinos. Outras 11 pessoas ficaram feridas e todas já tiveram alta do hospital. 

Nesta quarta-feira, 10, o Batalhão de Polícia Escolar reforçou a segurança nas escolas da capital. Alunos do Centro de Educação Profissional do Paraná (CEEP), do bairro Boqueirão, em Curitiba, terão reforço na segurança do Batalhão da Patrulha Escolar (BPE), da Polícia Militar do Paraná. Na última segunda-feira, 8, a rede wi-fi da escola foi alterada para “Massacre no Dia 10″.  “Um aluno mudou a senha por dez minutos, e foi o suficiente para que outro aluno fizesse o print para passar pelo WhatsApp”, disse Edson Martins, diretor-auxiliar da escola.

O ocorrido foi reportado às autoridades que, mesmo não constatando qualquer veracidade no fato, reforçou o policiamento nos horários de entrada e saída do centro educacional, conforme informações repassadas pela assessoria da Polícia Militar. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + um =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: