Pinhão realiza I Avaliação Externa nas escolas municipais

Graziele de Fátima Amaral, técnica do setor pedagógico | Foto: Nara Coelho/Fatos do Iguaçu

Por Nara Coelho

Durante os meses de outubro a dezembro a Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Pinhão levantou dados, elaborou, aplicou e tabulou uma Avaliação Externa para as escolas municipais.

A técnica do setor pedagógico, Graziele de Fátima Amaral, explicou que a equipe decidiu realizar a Avaliação para poder ver mais de perto e de forma mais nítida onde estão os pontos mais complexos do processo ensino aprendizagem dentro das escolas.

Ela contou que eles decidiram aplicar nos terceiros e quintos anos porque os primeiros e segundos anos já passam por uma avaliação externa do governo federal. Por ser o primeiro ano que estavam aplicando, para garantir a qualidade do processo e a certeza de darem conta da demanda decidiram não aplicar nos quartos anos.

“Avaliação externa é um caminho para a constante reflexão da prática. Diferentemente das avaliações realizadas na escola onde a dinâmica é professor-aluno, ela é independente e avalia de maneira homogênea os alunos de diferentes professores. Sua aplicação, por ser em larga escala, tira do foco da avaliação o aluno e coloca em pauta a turma, a escola, a rede e o município. Com apenas uma única prova é possível aferir inúmeros dados”, detalhou Graziele.

LEVANTAMENTO DE CONTEÚDOS

Para elaborarem as provas que foram aplicadas somente nas disciplinas de matemática e português, uma equipe da secretaria percorreu todas as escolas do município para levantar quais os conteúdos estavam sendo trabalhados nos anos em questão.

Para garantir uma qualidade no momento de acompanhar o desenvolvimento dos alunos nas avaliações e ter critérios sólidos no momento da correção a equipe da secretaria utilizou dos descritores da Prova Brasil e as habilidades da ANA, Avaliação Nacional de Alfabetização e em cima desses referenciais foi construída uma matriz de referência

APLICAÇÃO DAS PROVAS

As provas elaboradas pelo Setor Pedagógico da secretaria foram aplicadas entre os dias 12 a 30 de novembro para os 431 alunos do terceiro ano das 25 turmas do município e nas 26 turmas de quinto ano, que totalizam 488 alunos entre sede e interior. Foram realizadas duas avaliações, uma da disciplina de matemática e outra de Língua Portuguesa, cada uma possuía 10 questões.

Graziele explicou que as provas padronizadas elas avaliam as escolas e também o sistema municipal de ensino e como ela é em larga escala, não se faz um apontar para esse ou aquele professor ou escola.

“As provas padronizadas asseguram a comparabilidade dos resultados da rede municipal no decorrer dos anos. Dessa forma, a avaliação em larga escala busca avaliar de maneira independente e comparável ao longo do tempo a educação do município de Pinhão”.

RESULTADOS

Os dados foram tabulados, produziu-se um relatório individual por escola, por série/ano e ainda por questão para dar  maior visibilidade para a produção de indicadores bem como auxilie na produção dos planos de ação das escolas.

“Com o material que fizemos por escolas, é possível os professores identificarem qual é a maior defasagem de cada turma e atuar de forma mais direta e eficaz para suprir essa defasagem.  Quem quiser ver qual foi o desempenho de cada escola é só acessar o site da prefeitura municipal de Pinhão, http://www.pinhao.pr.gov.br/wp-content/uploads/2018/12/Doc02.pdf

Foi também produzido um relatório que mostra o resultado geral do município e para a surpresa de todos de forma geral os alunos apresentaram maior defasagem na disciplina de Língua Portuguesa do que em Matemática nos quintos anos.

Em Matemática, os índices de acertos ficou em 63,44% e em língua Portuguesa o índice foi de 46,79%. Já nos terceiros anos a diferença entre as duas disciplinas é mínima e o maior índice é da disciplina de Língua Portuguesa, 77,76 % e Matemática 75,19%

FORMAÇÃO CONTINUADA DIRECIONADA

Já de posse desses dados, o setor pedagógico já começou a organizar a formação de 2019. “Com esses dados em mãos vamos organizar oficinas que tragam formação específica para o professor dentro dos conteúdos que verificamos que os alunos demonstram maior dificuldade de aprendizagem, inclusive essas oficinas serão feitas por anos e escolas”, contou Graziele.

A ideia é trabalhar com oficinas em grupos pequenos e também vão realizar com as trocas de experiências. “Nossos professores da rede são muito bons, e a troca de experiência entre eles é sempre muito rica”, acrescentou a técnica.

FORMAÇÃO EM SERVIÇO

A partir do próximo ano letivo, a secretaria quer dar a formação em serviço, ou seja, não haverá paradas para cursos.

Será montado um horário para todo o município das horas atividades, por exemplo, na segunda feira a hora atividade será para todos os professores do município do primeiro ano. ”Assim quando formos fazer as oficinas, vamos realizá-las na segunda-feira com os primeiros anos, por exemplo, assim não mexemos na rotina da escola e conseguimos reunir todos os professores”, apontou a técnica.

A Avaliação Externa passará a ser aplicada anualmente e a partir de 2019 será realizada com os terceiros, quartos e quintos anos e tem a previsão para acontecer no mês de outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − 9 =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: