Pinhão é um dos municípios envolvidos na Operação Container por fraudes a licitações para coleta de lixo

Sebastião  da Silva Walter, o Basto, ex-secretário de obras na gestão do ex-prefeito Dirceu de Oliveira é um dos denunciados

Redação Fatos do Iguaçu com Assessoria de Comunicação MP-PR

O  Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e o Grupo Especializado na Proteção do Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria), órgãos do Ministério Público do Paraná, apresentaram denúncia contra o ex-secretário de Obras Sebastião da Silva Walter o Basto na gestão do ex-prefeito Dirceu de Oliveira,Andrei Rafael Stang, Augustinho Stang, Rodimar  Matos, Ricardo Furlan, Marciano Vottri, Patrick Roberto Gasparetto, Helio Manoel Alves, Nelio Barbacovi, Rafael Antonio Seben, Waldir Figueiredo Reccanello, Otoniel Barboza Garcez Junior e  Juliane Mayer Grigoleto investigados na Operação Container.

Os réus são acusados de fraudes a licitações para contratação de empresas para coleta e destinação final de resíduos nos municípios de Vitorino, Ampére, Matelândia e Pinhão.

Investigações do MPPR apuraram que os pregões foram baseados em preço máximo de um único orçamento de uma empresa que depois venceu todas as licitações. Além disso, em dois municípios, foram inseridas cláusulas de direcionamento nos editais, estabelecendo limite máximo de distância entre o município e o aterro sanitário onde seria realizada a destinação final.

A Operação Container, cuja primeira fase foi deflagrada em 24 de julho de 2018, trata de investigação sobre organização criminosa estruturada para a prática do crime de cartel no mercado licitatório de resíduos sólidos das regiões Sudoeste, Centro-Oeste e Centro-Sul do Paraná.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × cinco =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: