Pepino é uma produção com venda garantida

Foto: Nara Coelho/Fatos do Iguaçu

“Tem dia que falta produto não conseguimos atender a todos os nossos clientes” Denilson

Por Nara Coelho

A um quilometro e meio da sede do município de Pinhão, escondido atrás de duas casas à margem da PR 170, sentido distrito de faxinal do Céu, encontramos uma bela horta que produz diversos produtos que vão para a merenda escolar e para os mercados locais. O carro chefe dessa produção é o pepino, que aqui, no caso, não é problema, mas rendimento, lucro, na verdade ele é a grande estrela da rentabilidade.

O responsável por essa horta de elevada produção de pepino é o produtor Denilson Oliveira que, há dois anos transformou um hectare de capoeira em um plantio de 15 mil pés que fornecem de agosto a fevereiro uma produção de 1quilo por pé em média, produzindo uma safra de 10 mil quilos. “O terreno é do senhor Olivo Perucelli, que nos cedeu para que pudéssemos trabalhar”.

O produtor explicou que cada pé dá em torno de 10 colheitas, e que cada plantio leva em torno de 40 dias para começar a produzir.

PRODUÇÃO 2018

A colheita dessa primeira produção está no final, mas bem à frente já tem o plantio de mais 30 mil pés, que em pouco tempo já estarão produzindo, que totalizará 45 mil pés. Mas que a meta é de na nova safra plantar 60 mil pés.

VENDA GARANTIDA

Além de ficar comprovado que com disposição e trabalho, a produção de hortaliça dá retorno e nem é preciso ter um grande espaço, Denilson diz que a venda é certa, casada, como dizem os produtores. “Eu tenho contrato com uma empresa em Guarapuava, entrego toda minha produção para ela, tenho que fazer a entrega todos os dias. Eles pagam 3,00 reais o quilo de pepino para conserva”.

A empresa entrega as sementes e o adubo, o restante é por conta do produtor. Como o pepino é para conserva, ele tem um padrão, um tamanho, o que foge dele vai pra venda.

“O pepino para conserva não pode ser muito grande, assim os que fogem ao padrão, são bons para serem consumidos como salada e esses, vendemos para o Dalpozzo”, explicou ele.

Como o cultivo do pepino exige muita dedicação, é trabalhoso, Denilson sentiu a necessidade de contratar em torno 10 a 20 pessoas para ajudar a cuidar da plantação e realizar a colheita.

Denilson ressaltou: ”A empresa tem interesse em investir mais aqui, ter mais produtores produzindo para ela, mas para isso precisamos do incentivo, apoio do município para o transporte, para a entrega do produto em Guarapuava”.

FALTA PRODUTO

Pepino é o que ele produz em maior escala, mas produz também brócolis, couve-flor, repolho, beterraba, entre outras hortaliças, que vão para a merenda escolar e para os mercados locais e de Guarapuava, e que muitas vezes ele não supre a necessidade do comércio. “Trabalhamos com quase todos os tipos de verdura, tenho saída para todos os produtos, além da merenda, entrego nos mercados locais, a aceitação é boa, inclusive falta mercadoria, tem dias que não conseguimos suprir a necessidade de todos os nossos clientes”.

Deixe uma resposta

error: Alerta: O conteúdo está protegido !!
WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: