Francisco Carlos Caldas

Na legislatura 2017-2020 e nos primeiros meses da atual, o  Vereador que a gente teve mais contactos, trocas de ideias, e que mais  se utilizou da nossa assessoria jurídica como advogado da Câmara de Pinhão, foi Jerson Costa Antunes, e em 30-31/05/21  um dos nossos 60 mortos de Covid-19.

            E a empatia  acima tem até uma explicação racional e lógica. Muitos dos meus eleitores tradicionais, votaram nele em 2016 e 2020, e pelas necessidades naturais de renovação política, oportunidades para novos políticos, firmeza nas ideias e ações, busca de austeridades, disciplina, compromissos com a palavra empenhada e valores éticos do gênero, com algumas afinidades ideológicas a nossa militância  e atuação em 4 mandatos eletivos que tivemos.

            Em função desse contexto todo, e até por esse ano ser o meu vizinho com porta de frente, praticamente todos os dias úteis  de fevereiro de 2021 para cá, conversávamos com ele e sua assessora Shalimara Mandziuk.

            Entre tantas conversas interessantes, teve uma que fizemos questão e tivemos oportunidade de parabenizá-lo, por uma fala que ele fez na Tribuna da Câmara, em que ele contou para um amigo que estava enfrentando alguns problemas, e o amigo dele rebateu “Você não tem problema!”, e contou a ele as peripécias, trabalheiras e  desafios que  tinha diante de problemas de saúde de um  familiar. E Jerson, nos impactou com a sua fala, em reconhecer que em confrontando o seu problema com o do amigo, o dele era merreca, na realidade nem merecia ser rotulado de problema. E pregou, força e otimismo, diante do que se precise ser enfrentado. E remeteu a minha memória a uma tia paterna que tive, de nome Hipólita Oliveira Caldas, que era uma otimista incorrigível: diante de qualquer problema e dificuldade que se levantasse, ela vinha com uma espécie de consolo: “pior é  o que aconteceu com fulano, ciclano e beltrano”; divergência entre cônjuges, era “fita” de alguém; gostava de jogar com a gente com osso do peito de galinhas, e ficava satisfeita de  perder e pagar , numa forma de dar presentes e alegrar sobrinhos.

            Jerson, era firme, leal, sincero,  se indignava, sofria, com coisas erradas, injustiças, peripécias da população e na falta ou deficiência das coisas, e quem sabe até pegou o coronavírus quando das visitas feitas em hospitais de outras cidades em busca de ideias, projetos, anseios de melhoria de nossa saúde pública. E em tudo não perdia a alegria, o otimismo, a fé em Deus e Nossa Senhora Aparecida.

            Nosso último dialogo pelo whatsapp, às 18:07 e 18:16 horas do dia 6 de maio de 2021: Eu perguntei “Boa noite! Como está o amigo?” E ele respondeu de viva voz: “Boa noite seu Francisco. Seu Francisco tô bem, estou com um pouco de tosse não tenho paladar e não tenho  cheiro sabe e esse foi; mas é muito demorado o Sentinela, você me acredita fiz o teste antes de ontem para coletar; já fui domingo no Sentinela,  já tomei injeção e estou  tomando medicamento desde domingo,  mas daí fui  no Sentinela, coletei anteontem e o resultado sai amanhã, mas estou igual ao Jean, só perdi o paladar e cheiro Dr, tô com um pouco de tosse e um pouco de rouquidão, mas no mais Graças a Deus está bem, obrigado pela lembrança, obrigado  por ter se preocupado com nóis Dr., fica com Deus e que Nossa Senhora cuide de você e de sua Família”. Não cansamos de ouvir, a sua mensagem, e o que disse é um retrato fiel de seu caráter, personalidade, otimismo, fé no Criador e Nossa Senhora Aparecida, e o ocorrido nos impactou fortemente, pois, não costumo fazer o que fiz, mas senti uma espécie de necessidade da indagação feita,  e também  ligado 3 vezes para o celular do Ivonei Oliveira Lima, no dia 18/05/21, pois, não sei de onde veio essas preocupações, que com outros fico mais reservado e na expectativa de boas notícias, via outras pessoas e meios.

            Ivonei um parente Mossico (filho de Ivo Oliveira Lima, primo de meu pai); uma referência  não só em saúde pública, Sistema Único de Saúde-SUS; grande articulador, gestor; uma grande pessoa do âmbito familiar a cidadania, e que vai fazer muita falta e que deixa um exemplar legado para todos nós. E tive a oportunidade de na nossa última conversa em que trouxe cópia de matrícula imobiliária,  sentir a sua alegria, contentamento de ter matriculado e registrado imóvel adquirido no imóvel Dois Irmãos e  Bairro Dona Área. Matrícula e registro de batalhas históricas, e em que foi um grande parceiro, e que comungava conosco e não se cansava de colocar em programas de governo em que era peça chave em feituras, regularização documental de imóveis em Imóveis, para um maior desenvolvimento de Pinhão e seu Povo.

            Temos uma razoável preparação para mortes naturais,  de doença, de idosos, mas as mortes de Ivonei Oliveira Lima e Jerson Costa Antunes, nos dias 19 e 23 de maio de 2021, foi uma “cassetada”, que nos impactou   e até  demais, por laços de afinidade ideológica, de amizade, considerações recíprocas,  vontade deles de viver, servir e outras virtudes que eles tinham.

Francisco Carlos Caldas, advogado,  ex-Vereador, municipalista e cidadão.

E-mail  “advogadofrancal@yahoo.com.br” 

LEIA TAMBÉM:

PROJETO: “NÃO VOTE EM MIM” E O “REPIQUE”

PROGRAMA “PORTEIRA ADENTRO”

FRAUDES ELEITORAIS

 

 


Compartilhe

Veja mais