O Egocentrismo nosso de cada dia

Por Fabricio Barbosa

“De médico e egocêntrico todos temos um pouco”

Ao consultar sobre o significado da palavra egocentrismo, é inevitável depara-se com questões advindas do centro da concepção do pensamento humano em volta do “ser”, ou melhor, o “Ser” como um elemento único e central. Então para entender melhor o momento em que a sociedade moderna passa dificuldades em relação ao convício devido a efeitos pandêmicos, muito oportuno se faz entender que na concepção humana existe certo sentimento egocêntrico, que coloca-nos sendo os únicos a serem demandados de atenção. Desta forma há os que digam que pessoas egocêntricas se assemelham a crianças mimadas (cheias de mimimi), coisa muito utilizada nos últimos tempos para designar toda uma geração de pessoas tidas como “a geração mimimi”, porem isso é outro papo.

Mas então! Vamos ao assunto central deste texto, “Egocêntrico”, em uma pesquisa rápida pela rede mundial de computadores, encontramos a descrição da ciência da psicologia definindo que é “quem exibe atitudes ou comportamentos voltados para si mesmo, de modo relativamente insensível às preocupações dos outros.” Veja bem caro leitor, a definição é muito clara, são pessoas insensíveis às preocupações dos outros, isso que nos faz tencionar sobre a falta do poder de empatia presente na sociedade moderna, bem claro quando identifica-se entre nações que as preocupações estão voltadas para o “eu” e não para o “nós”, numa dimensão de universalidade.

Em épocas de pandemia isso fica muito mais fácil de explicar, se um não se cuidar, todos se contaminarão, se um não se mantiver em resguardo, todos estarão comprometidos e, adivinhem, ouvi varias vezes pelas ruelas da cidadezinha de interior onde resido à argumentação: “-isso não vai pegar em nós, isso é coisa de cidade grande” ou ainda, “- eu mesmo peguei e não passou de uma gripezinha”. Certo! O egocentrismo desses seres humanos ao argumentar sobre questões de coletivo duma forma a identificar apenas o lado pessoal, meio que dizendo a todos, eu não tive problemas então se preocupe quem tiver, demonstra certa falha no conjunto de características e traços relativos à maneira de agir e de reagir de um indivíduo. Demonstra as qualidades e defeitos de uma pessoa e que determinam sua conduta e sua moralidade, ou seja, demonstra seu CARATER.

Deste modo me alio ao ditado popular que “de medico e de louco todos temos um pouco”, ou seja, de egocêntricos todos nós detemos um grau menor ou maior em nossa formação de caráter. Certa vez assisti a uma palestra iniciada por um professor universitário muito influente no país e que principiava com dados sobre o tamanho do universo, a estimativa de estrelas, planetas e astros contidos em uma galáxia, encerrando com dados da terra e seus mais ou menos sete bilhões de habitantes, colocando a seguinte pergunta: “… e você acredita que seus problemas são os únicos serem resolvidos?” Isso demonstrando o quão egocêntricos somos mesmo que em um menor grau, acreditamos que nossos problemas são únicos e apenas nós os sofremos.

Contudo o egocentrismo pode ser tido como uma chaga da era moderna, pois é nele que encontramos alguns dos mais difíceis traços comportamentais do ser humano, onde conviver se torna mais difícil com pessoas que apenas pensam em seu ponto de vista, em suas dores e seus amores, acredito assim que nos tempos obscuros aos quais estamos acometidos o egocentrismo se tornou o promotor de distúrbios sociais em sua coletividade, uma vez que nas varias gerações que compõem o mundo moderno o egocentrismo sempre esteve e está presente, causando assim um consciente coletivo onde predomina a visão individual.

Faça seu comentário