Mobilização em prol do que vale a pena

Vivemos no período das mobilizações. São muitas manifestações, greves e outros mais. Diante de tantas mobilizações devemos refletir sobre as consequências e o porquê das mesmas. Antes de se mobilizar deve-se refletir sobre os fundamentos, as intenções, os reais ideais e propósitos.  Toda e qualquer mobilização que começa simplesmente por um ideal partidário, já começa errado, porque infelizmente por detrás de tal ato, há interesses políticos que estão acima do que de fato é bom para a sociedade. Não estou aqui dizendo que as mobilizações que tem acontecido não são válidas, precisamos de fato nos mobilizar, mas em favor do que é certo, do que vale a pena. Vivemos uma onda de assaltos em nosso município e para que as coisas possam melhorar, precisamos nos manifestar, pedindo mais policiais para nosso município, e nisso a População pode ajudar (temos conversado sobre isso no CONSEG). Um dos grandes problemas hoje é o silêncio dos bons (como diz Martin Luther King), as pessoas não querem se posicionar, e precisamos nos posicionar em favor do que vale a pena. O juiz Sérgio Moro é visto como um herói, quando na verdade ele simplesmente está fazendo o que é certo, honesto, alguém que tem se posicionado em favor do que é correto, mas nós também podemos fazer isso em tudo o que fazemos. Nas Escrituras tem um versículo que deveria ser o fundamento de toda e qualquer mobilização individual ou em grupo. O apóstolo Paulo assim diz “tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso que ocupe o vosso pensamento” (Filipenses 4.8). O que me parece é que hoje, fazer o que é honesto, se transformou em algo anormal, careta. É o que todo cidadão de bem deve ser, honesto, integro; e para quem deseja se manifestar em prol do que é correto, precisa antes de tudo, ser correto também em suas atitudes e palavras. Quem simplesmente se manifesta para se promover, se aparecer, ou por interesse partidário, não está pensando de fato na sociedade em geral, simplesmente pensa em si mesmo ou apenas em prol de um grupo especifico. Tem outro problema, aqueles que se manifestam de forma simplista, não sabem o que está acontecendo de fato, tem preguiça de se informar, são usados sem saber, como manobra. Todas as manifestações e mobilizações tem um fundamento e espero que os princípios das Sagradas Escrituras possam trazer luz, ser as lentes para olhar e pensar o mundo a sua volta com os seus problemas e dilemas. Há 499 anos atrás um homem chamado Martinho Lutero não se calou diante das heresias presentes em seu contexto (Wittenberg – Alemanha), outros homens como João Calvino também se levantaram em outros contextos (Genebra – Suiça). Esses homens, firmados nos princípios da Palavra de Deus, marcaram sua geração dizendo não ao que estava errado e mostrando o caminho certo a partir das Sagradas Escrituras. As consequências estão presentes até os dias de hoje (não estou aqui transformando a Reforma Protestante em apenas manifestações, ok). Para que o legado das mobilizações seja valioso, as mesmas precisam ter fundamentos que valem a pena, não para um determinado grupo apenas e para isso creio que pelos óculos da Palavra de Deus os fundamentos não caem em meio as tempestades, mas firmes permanecem.

Rev Sandro Carvalho Rodrigues

Fone: 99813992/email: sandropistos@yahoo.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + 1 =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: