Fórum da Comarca de Pinhão-Pr

O julgamento acontecerá na segunda-feira, 8 de fevereiro

Redação Fatos do Iguaçu

Marcos Adão Caldas, de 35 anos, estará na cadeira dos réus às 9 horas do dia 8 de fevereiro, acusado pelo  assassinato de Elaine Cristina de Oliveira Machado, devido ela ter decidido terminar o relacionamento com ele, configurando feminicídio, por ter tentado ocultar e destruir o corpo da vítima e por danos a bens de terceiros.

Marcos Caldas está preso desde que foi encontrado pela polícia civil em Guarapuava, mas não assume a autoria do crime.

O RELACIONAMENTO

Segundo o que está nos autos do processo, Marcos e Elaine tinham um relacionamento há um ano, mas, descrito pelos depoimentos, como um relacionamento conturbado, permeado de violencia e ameaças.

A mãe de Elaine, Marlene de Oliveira Machado, declarou que a filha tinha muito medo do Marcos, pois este ameaçava seus pais, sua filha e ela. “mãe você pensa que eu amo ele, mas eu tenho nojo dele porque ele é um lixo para mim, ele me bateu, deu tapa na cara, ele me ameaça, eu não quero mais ele, eu vou com ele porque ele ameaça meus filhos, ameaça você e eu prefiro eu morrer do que colocar vocês em perigo”. Que naqueles dias ela dissera que terminaria tudo com o Marcos e iria para Santa Catarina.

OS FATOS

Pelo relato nos autos das testemunhas, no dia 4 de julho de 2019 Elaine pediu o carro do pai João Maria Machado, um gol branco, para ir arrumar os cabelos de uma cliente, pois Elaine trabalhava com cabelos e maquiagens.

Como já era tarde e a moça não havia voltado, tinha parado de responder as mensagens no celular, a sua mãe ligou para a cliente e essa informou que ela já tinha estado lá e disse que ia até a lanchonete Cachorrão, fazer um lanche.

O pai da vítima foi até a delegacia fazer a denúncia do desaparecimento, mas foi informado que a denúncia só poderia ser feita após 24 horas do desaparecimento.

MARCOS CALDAS PROCUROU FAMILIARES

Na manhã de sexta-feira, 5 de julho, Marcos foi até a casa de uma tia na comunidade dos Silvérios, procurando por um primo para solicitar gasolina a esse.

Marcos estava com a vítima no banco da frente do carro, virada de costas, ela já estava morta. Ele colocou gasolina no carro e saiu.

Um tempo depois ele estava numa encruzilhada e solicitou carona aos mesmos parentes que estavam vindo para a sede do município.

No dia 7, domingo, a polícia militar recebeu a denúncia pelas pessoas que viram Elaine morta dentro do carro. Nos autos consta que as pessoas demoraram a fazer a denúncia por terem sido ameaçados por Marcos.

O CRIME

Pela descrição dos legistas, Elaine morreu por asfixia química e depois Marcos a levou no carro de seu pai até uma encruzilhada na comunidade dos Silvérios e na tentativa de ocultar e destruir o corpo da vítima ateou fogo no carro e no corpo da vítima. 

LEIA TAMBÉM:

Vara Plenário do Tribunal do Júri de Pinhão: Edital dos jurados convocados para o júri do dia 08/02

 


Compartilhe

Veja mais