Rev. Sandro

Não gostamos de falar de algo tão óbvio e democrático como o sofrimento. O sofrimento é uma certeza que sempre nos pega de surpresa. É claro que não devemos ficar enfatizando o sofrimento em si, mas ao mesmo tempo não devemos ignorar a dor, as perdas, as angústias. Não quero dizer com isso, que devemos ter um meio termo, antes devemos sim enfrentar, passar, aprender, com os recursos certos. A primeira grande questão a ser tratada é justamente do impacto da crise, da dor, da perda.

Embora cada pessoa reaja de um jeito, todos devem passar pelo processo de lidar com os sofrimentos da caminhada. Para tanto deve-se tomar cuidado com os remédios, com decisões em meio ao sofrimento em si. Ao mesmo tempo, devemos tomar cuidado para não considerar o sofrimento como algo eterno, que nunca vai parar. Embora o sofrimento seja algo que todos passamos, não podemos nos esquecer das alegrias, das conquistas, das bênçãos, das superações, dos recomeços, do milagre da vida.

É bem verdade que enfrentamos situações inexplicáveis, crises medonhas, perdas que tiram o chão, mas olhando para o todo, vamos também nos deparar com situações que nos trazem uma alegria indizível, desafios vencidos, milagres e tudo mais. Mesmo no sofrimento, tem algo que traz uma força, alento – a presença dos de perto, o abraço que anima, a presença que nos acolhe, os conselhos que iluminam, a entrega de pessoas que sentem de fato a dor do outro, as orações diversas. Ás vezes, somente a presença daquele ou daquela, já traz paz, isso é a vida, e precisamos olhar para essas coisas em meio ao sofrimento.

Outra questão fantástica que nos ajuda a lidar com o sofrimento, é valorizar o relacionamento com o Eterno. Por mais forte que seja a dor e o sofrimento, Deus é maior, e o seu cuidado, a sua presença é como um bálsamo para os dias difíceis. As vezes não vamos obter respostas para entender o porquê de certas provações, de certas perdas, mas com a ajuda divina vamos continuar a caminhada, reaprendendo a viver, a ter esperança, a continuar a vida. Na história bíblica, sempre me surpreendo com Davi, um dos grandes personagens do Antigo Testamento que passou por todo tipo de situações adversas, e nos momentos de angústia, de sofrimento, nunca deixou de gritar por socorro (Esperei confiantemente pelo Senhor e Ele se inclinou para mim e me ouviu quando clamei por socorro. Salmo 40.1).

No salmo 4, Davi angustiado busca ao Senhor e termina a oração dizendo “em paz me deito e logo pego no sono, porque Tu me fazes repousar seguro” (Salmo 4.8). Dentre os vários recursos para lidar com o sofrimento, o mais eficaz está Naquele que tem poder para acalmar a tempestade, bem como protege os seus para passar pela tempestade. Que no sofrimento, possamos estar com os olhos voltados para Aquele que não falha, seu socorro sempre chega, sua paz, excede o entendimento humano.

O Deus Vivo alivia os fardos, revigora as forças, anima o cansado, renova a esperança ao desesperado e nos ajuda a olhar para frente com expectativa, enfim nos ajuda a olhar para além do sofrimento.

Rev Sandro  Carvalho Rodrigues – pastor da Igreja Presbiteriana de Pinhão

PARA LER OUTROS ARTIGOS – CLIQUE AQUI



Compartilhe

Veja mais