Incentivo à leitura é trabalhado no Colégio Morski

Elis Carraro – jornalista do Fatos do Iguaçu

Professora de Língua Portuguesa e Literatura criou uma metodologia para despertar a curiosidade e o gosto pela leitura dos alunos

O ato de leitura na educação infantil traz os benefícios de estimular a criança a criar um hábito de ler desde cedo, e isso resulta e impacta no seu desenvolvimento de tal forma que pela vida inteira ela vai colher os frutos dessa semente. Com as tecnologias integradas no dia a dia das crianças, o gosto por folhear as páginas de livros fica mais difícil, já se torna algo menos prazeroso porque demanda tempo, atenção e a construção da história contada nas palavras pela imaginação das cenas na memória da criança. Por isso, é fundamental que os pais e professores busquem estimular a criança a pegar gosto pelos livros. O que é completamente diferente de tornar isso uma obrigação para elas.

Através da leitura a criança pode desenvolver a criatividade e a imaginação e adquire uma bagagem cultural que, em muitos casos, vai acompanhá-la pelo resto da vida. Além disso, o desenvolvimento escolar é sensivelmente beneficiado quando o aluno tem o hábito de ler com frequência. Sejam livros adaptados para a sua idade ou histórias curiosas e leves.

Sendo assim, para incentivar as crianças a nutrirem o hábito pela leitura, a professora Daniela Luiz Alves, da disciplina de Língua Portuguesa e Literatura  do Colégio Estadual Mario Evaldo Morski, desenvolveu uma atividade na disciplina de Língua Portuguesa e Literatura, para os alunos do 6º ano.

Em sala de aula, a professora determina que os alunos leiam livros disponíveis na biblioteca, sendo de qualquer gênero, ficção, romance, aventura, contos, crônicas, aquilo que eles desejarem ler. Após o término da leitura, os alunos devem trazer um objeto concreto que possa representar do que se trata a história do livro, como forma de instigar pela curiosidade dos outros alunos a leitura do mesmo livro.

“A atividade funciona como forma de avaliação, e é passada a cada trimestre. Eles leem o livro, depois tem uma apresentação sobre o que eles conseguiram perceber da história, e então eles trazem um objeto que eles mesmos produzem para ilustrar o livro. Tem dado muito certo essa estratégia, e é notável que ele se aguçam mais a ler e a se interar do conteúdo dos livros dos colegas, nós ligamos a leitura, que vem do objeto escrito, com a memória imagética do material concreto em forma de representação através de um elemento”, diz Daniela.

Após as apresentações, Daniela organizou na biblioteca do colégio uma pequena exposição com as peças e os títulos de cada livro que o objeto está representando. Paulo Kaique Rodrigues é aluno do 6º C, ele leu os livros “O Guia do Mochileiro das Galáxias”, e “O aventureiro das Estrelas” durante o primeiro trimestre deste ano. Segundo Paulo, os livros são um caminho aberto para instigar a imaginação.

“Para mim foi muito legal essa atividade porque eu senti mais vontade em ler outros livros por ver as coisas dos meus colegas. O mundo da leitura é incrível e nos faz viajar na imaginação, eu gostei muito”, relata Paulo.

Deixe uma resposta

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: