Guarapuava encerra alerta epidemiológico com 85% dos casos de Covid-19 recuperados

(Foto: Secom/Prefeitura de Guarapuava)

Redação Fatos do Iguaçu

Nesta terça-feira (04), Guarapuava chega ao fim do estágio de alerta epidemiológico, decretado pelo município em 17 de junho. Após seis semanas de cumprimento, a medida se encerra em um cenário considerado satisfatório para as autoridades sanitárias municipais.

“Quando iniciamos esse estágio, tínhamos estimativas estaduais de elevação da curva de contágio da Covid-19 que nos preocupavam. Rapidamente adotamos medidas mais restritivas de prevenção, segurança e de manutenção do distanciamento social com punições rigorosas que se mostraram eficientes”, relembrou o prefeito de Guarapuava Cesar Silvestri Filho. “Nesse período tivemos uma crescente no número de casos, mas conseguimos controlar a transmissão do vírus, triplicamos nosso número de leitos com o funcionamento do Hospital Regional e também contamos com apoio da população que, em sua maioria, tem nos atendido e nos auxiliado nesse enfrentamento à pandemia”, avaliou Cesar.

No início do alerta epidemiológico, Guarapuava contava com 85 casos confirmados, sendo 39 recuperados. Até esta segunda-feira (03), o último boletim divulgado pela Prefeitura contabilizava 422 casos confirmados, sendo 355 recuperados. Enquanto o número de confirmados teve um crescimento de quase 5 vezes mais, o de recuperados é quase 10 vezes maior com relação aos números do início do estágio de alerta. Hoje, apenas 15% dos casos confirmados estão ativos no município, chegando a 85% de recuperação dos pacientes. Com relação a taxa de ocupação de leitos de UTIs (Unidade de Terapia Intensiva), dos 10 leitos totais do Hospital São Vicente, quatro deles estão ocupados, conforme dados dessa segunda (03). Uma ocupação de 40%.

No comparativo semanal de casos ativos e recuperados, os números também são satisfatórios, conforme aponta o gráfico abaixo.

(Fonte: Bolentis diários da Prefeitura de Guarapuava)

No período de alerta epidemiológico, além de auxiliar no cumprimento das medidas de enfrentamento à Covid-19, a população também contribuiu como agente fiscalizador do município. Foi através da Ouvidoria Municipal, inclusive em plantões nos fins de semana, que os munícipes efetuaram denúncias, que conforme protocolo, foram encaminhadas às equipes de fiscalização que estavam nas ruas. Entre 19 de junho e 2 de agosto, foram 620 atendimentos exclusivos de denúncias sobre a Covid-19 e 199 encaminhamentos para à fiscalização geral da Prefeitura.

(Fonte: Ouvidoria Municipal)

Em um comparativo dos números de demandas abertas na Ouvidoria desde o início da pandemia até julho deste ano, com os números do mesmo período de 2019, as denúncias quase triplicaram em 2020, saltando de 429 em 2019 para 1.242 este ano.

(Fonte: Ouvidoria Municipal)

Como resposta à população, houve intensa fiscalização e punições rigorosas. Em 19 de junho, o decreto municipal nº 8022, que restringia o atendimento de bares de segunda a domingo, das 8h às 20h; bem como a lei complementar n° 009/2020, que estabelecia multa de R$ 5 mil para estabelecimentos comerciais (essenciais e não essenciais), residências ou locais particulares que descumprissem a multa, entraram em vigor e foram fiscalizados.

Nestas seis semanas, as denúncias via Ouvidoria, Vigilância Sanitária e Departamento de Receita da Prefeitura foram apuradas, gerando mais de 90 notificações e fechamento provisório dos locais, até regularização dos proprietários. A equipe dos agentes de fiscalização Covid lavraram 10 autos de infração com multa para proprietários de residências; 50 para estabelecimentos como bares, lanchonetes, restaurantes, conveniência; ou de atividades noturnas; 30 para comércio em geral; além de notificação para duas igrejas e dois processos por desacatos, com B.O. (Boletim de Ocorrência) registrados pela fiscalização.

(Foto: Secom/Prefeitura de Guarapuava)

Conforme a agente de fiscalização, Joeci Aparecida de Lima, entre as principais medidas descumpridas nesses locais estavam o uso obrigatório de máscaras, distanciamento entre mesas e aglomeração de pessoas, disponibilização de álcool em gel e o respeito aos horários de funcionamento estabelecido para bares, restaurantes e lojas de conveniência nos finais de semana.

Clique  👉 AQUI  e baixe o aplicativo da WEB RÁDIO FATOS

Percorrendo estabelecimentos comerciais e residências, houve também, neste período, um considerável número de denúncias que foram averiguadas pela fiscalização, mas não procediam. “Muitas pessoas acabavam encaminhando demandas que, quando averiguadas in loco, não eram reais, como o encaminhamento de fotos de eventos anteriores à pandemia, se referindo a uma data atual, por exemplo. Mesmo assim, nossas equipes foram vistoriar e, quando necessário, aplicaram notificação. Foi esse trabalho diário que fez com que conseguíssemos controlar nosso cenário local e manter controle no enfrentamento”, enfatizou o diretor de arrecadação e fiscalização, Adão Monteiro.

Fonte: Site Prefeitura Municipal de Guarapuava

  

Faça seu comentário