Especial:NOSSA GENTE

Em parceria com a Escola Municipal Pedro Siqueira, o Fatos do Iguaçu está realizando uma homenagem para o Município de Reserva do Iguaçu pelos seus 22 anos de emancipação política.

Durante o mês de setembro, toda edição trará uma reportagem sobre o município realizada pelas turmas dos 5º anos da Escola que tem como regentes as professoras Eliane Caldas, Alzira Switalski e Sônia Rosa.

Essa semana o tema escolhido foi Nossa Gente e no dia 30 de agosto, o 5º ano A, com a professora Eliane Caldas e com a orientadora pedagógica Luciane Mendes fizeram uma visita à propriedade do casal Sebastião da Silveira Caldas, mais conhecido por Seu Bastio, de 75 anos e D. Ana Maria Caldas, que está com 67 anos, moradores na localidade de Invernadinha, nascidos e criados em Reserva do Iguaçu, gentilmente receberam os alunos e professores para uma conversa, que foi animada e proporcionou aos alunos mais conhecimentos sobre Reserva do Iguaçu.

Prosa animada

Um casal hospitaleiro e por morarem a tanto tempo em Reserva do Iguaçu, eles vivenciaram muitas mudanças e progresso no município.  “Em seus relatos  percebemos as grandes dificuldades que tinham no passado, mas mesmo assim não achavam o lugar e a vida ruim”. Contaram as crianças.

Eles lembram que, quando crianças, a mãe mesmo fazia as roupas para o uso, brincavam em árvores fazendo dos cipós balanços. Para irem à escola, era difícil, não tinha transporte, era a pé, caminhando vários quilômetros, podia estar frio ou chovendo.

O transporte era carroça ou a cavalo para irem ao Pinhão. Na época chamada de Vila Nova, a viagem demorava em torno de dois a três dias. Eles iam até lá para comprarem produtos, como: café em grão, açúcar e sal, tudo a granel, os demais produtos era cultivados por eles. A atividade agrícola desenvolvida por eles era safra de porco, com o lucro conseguiam sobreviver e comprar terras. Para preparar o terreno para o plantio era preciso derrubar árvores com machado e foices, usavam também arado de bois e máquinas manuais.

Rondinha, como era o nome de Reserva do Iguaçu no período que foi distrito de Pinhão, tinha poucos habitantes e poucos recursos para oferecer na área de saúde, educação, transporte e comércios. Com o passar do tempo, isso foi mudando, há 22 anos foi dado o primeiro passo para o progresso, lembram eles, quando Rondinha passou a ser Município, a partir daí muitas coisas boas aconteceram, acesso à educação, médicos, comércio de produtos, mercados, farmácias, transporte entre outras coisas, a qualidade de vida só foi melhorando.

            Quando pedimos para eles o que desejavam para Reserva do Iguaçu pelos seus 22 anos, eles disseram que: “Deus abençoe sempre e que continue progredindo, e que no futuro, essas crianças que estão participando desta conversa, quando chegarem na idade de trabalhar tenham aqui mesmo oportunidade de emprego. Reserva do Iguaçu é um lugar maravilhoso e não trocamos por nem um outro lugar”. Concluíram eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + dezoito =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: