Na última semana de junho, as entidades filiadas a CNTur, Confederação Nacional do Turismo, iniciaram um movimento pela volta do horário de verão, que foi extinto em 2019 pelo presidente da república Jair Bolsonaro, (sem partido).

Paraná é um dos estados que lideram o movimento

A ação pelo retorno do horário diferenciado no verão está sendo liderado por entidades do Paraná, Bahia e Santa Catarina filiadas a CNTur.

Primeira ação

Segundo o site oficial da CNTur as entidades  encaminharão em conjunto ofício ao Governo Federal pelo retorno do horário de verão já em 2021.

Os empresários da área do turismo afirmam que mesmo que a mudança não reflita em economia de energia elétrica, pode representar um fôlego extra para o setor, um dos mais afetados pela pandemia do novo Coronavírus (COVID-19). “Sabemos que o horário diferenciado não reduz o consumo de energia elétrica, mas vai refletir socialmente em nosso setor”, diz Fábio Aguayo, vice-presidente da CNTur.

O horário de verão

Com o horário de verão, quando os relógios de algumas regiões do país são adiantados em uma hora, as atividades ligadas ao turismo contam com uma hora a mais ainda durante o dia para receber turistas e clientes tradicionais.  “A volta do horário de verão não é só uma medida energética e científica, mas será como uma medida social indispensável”, ressaltou Aguayo.

A iniciativa já está recebendo apoio

O movimento pela volta do horário de verão lançado pela CNTur, ganhou apoio de empresários e outras instituições ligadas à gastronomia, lazer e entretenimento. A medida vai beneficiar o turismo nacional e gerar economia de energia elétrica frente à crise hídrica no país.

A iniciativa mobilizou instituições representativas de empresários dos setores de turismo, bares e restaurantes de São Paulo. Eles argumentam que o retorno da mudança no relógio possibilita uma hora a mais de lazer aos trabalhadores, movimentando a economia do setor. O dirigente classista já alertava, quando o horário de verão foi suprimido na temporada 2019/2020, que o setor de gastronomia, lazer e entretenimento seria afetado diretamente.

O pedido já conta com apoio da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, Abrasel Nacional, Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas a Abrabar, Federação Paranaense de Turismo, Feturismo.

Fonte: CENTur

 


Compartilhe

Veja mais