Eleições 2016: Após três votações, Convenção do PMDB decide coligação com PT

Como já era esperado, a convenção do PMDB de Pinhão foi a que apresentou mais disputas entre seus convencionais das que aconteceram neste final de semana. Esta começou tensa e percebia-se a disputa entre dois grupos distintos entre os votantes, e no decorrer dos trabalhos, isso se tornou cada vez mais visível.

Logo no inicio dos trabalhos foi lida um carta enviada aos convencionais pelo deputado federal Hermes Frangão Parcianelo, que clamava que o PMDB de Pinhão tivesse sua candidatura própria, mas se isso não fosse possível, Frangão pedia que o partido não fizesse coligação com o atual prefeito Dirceu de Oliveira e com o grupo ligado ao ex-prefeito José Vitorino Prestes. Disse Frangão: “se isso acontecer, nós respeitaremos, mas decepcionados”.

Em seguida foram lidos os documentos do PT (Partido dos Trabalhadores) propondo coligação e do PP (Partido Progressista), solicitando apoio.

O secretário do partido, Ivonei de Lima, leu as 3 proposições que estariam em votação pelos 34 convencionais:

– Candidatura própria, encabeçada pelo funcionário público Beraldo Nunes do Amaral;

– Coligação com o PT, que tem como pré candidato a prefeito o advogado Odir Gotardo, com indicação de Beraldo para candidato a vice-prefeito,

– Apoio ao candidato a prefeito pelo PP, José Francisco Rocha Loures o “Juca”.

Então, Nestor de Oliveira abriu espaço para defesa das proposições, onde até  quatro convencionais para cada proposição teriam 4 minutos para falar. Na defesa pelo apoio da candidatura de Juca, falaram Neuraldo Rocha, Jocelita Dellê. Pela candidatura própria Náer Coelho, Luciano Lima, Beraldo Nunes do Amaral, e pela coligação com o PT, Darci Jocoski. No final da defesa de Beraldo ele abriu mão da candidatura própria e passou a defender a coligação com o PT, acontecendo então o primeiro embate entre os grupos, pois uma parte dos convencionais achavam que a candidatura própria não deveria mais entrar em votação. Após algumas explanações, os 3 itens permaneceram em pauta para votação.

Antes de iniciarem as votações, outro questionamento levantado pelo advogado e vereador Francisco Carlos Caldas, que propunha  “para que a votação fosse mais democrática”, deveria ser feita em dois turnos. As duas proposições mais votadas seriam novamente votadas para que fosse eleita a que tivesse 50% +1 dos 35 votos. Outra discussão começou, pois a mesa executiva defendia que deveria ser em única votação e que a mais votada venceria. Depois de alguns debates, foi aberta a votação em dois turnos.

André Santos Almeida, Tanize Martins Almeida  e a advogada Miriam Bianchi Wittes do PMDB de RI (Foto: Naor Coelho)
André Santos Almeida, Tanize Martins Almeida e a advogada Miriam Bianchi Wittes do PMDB de RI (Foto: Naor Coelho)

Contados os votos da primeira votação (nas duas primeiras votações) pelos visitantes do PMDB de Reserva do Iguaçu que realiza sua convenção no próximo dia, Tanize Martins Almeida, André Santos Almeida e a advogada Miriam Bianchi Wittes, o resultado foi apoio ao Juca 18 votos, coligação com o PT 14, candidatura própria 2 e branco 1 voto.

Novamente foi aberto espaço para que os convencionais fizessem a defesa das duas proposições que iriam para o segundo.

Durante a votação do segundo turno o convencional Luciano Lima fez uma intervenção junta à mesa que conduzia os trabalhos que a cédula estava confusa e que isso poderia causar algum problema.

Depois de contados os votos, para surpresa dos presentes, o resultado deu empate 16 votos para Juca e 16 votos para coligação com PT e 3 brancos.

Em seguida, o presidente Nestor Oliveira comunicou aos convencionais que a comissão executiva iria decidir como fazer o desempate, começando as discussões e alguns ânimos ficaram exaltados. Depois de muitas discussões entre os dois grupos (os que queriam apoio ao Juca e os que defendiam coligação com o PT), a mesa decidiu interromper por alguns minutos a convenção e realizar uma reunião extraordinária para decidir sobre a questão do empate e o problema da cédula.

A comissão executiva decidiu realizar nova votação (3ª), devido ao problema apresentado nas cédulas da segunda votação.

Após mais de 4 horas de convenção, novamente os convencionais foram chamados para enfim chegarem à decisão que o partido tomará nas eleições de outubro. Contados os votados, o resultado foi favorável para que o PMDB de Pinhão faça a coligação com o PT, sendo o candidato a vice Beraldo…. com 18 votos contra, 16 favoráveis ao apoio à candidatura de José Francisco Rocha Loures, o Juca, e 1 voto branco.

 

 

 

Um comentário em “Eleições 2016: Após três votações, Convenção do PMDB decide coligação com PT

  • 1 de agosto de 2016 em 10:22
    Permalink

    PARA QUEM VIU O PMDB NO TOPO, ONDE O PARTIDO PASSOU A SER COADJUVANTE.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × três =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: