Dia Nacional do homem

Por Nara Coelho     | Fotos: Naor Coelho/Fatos do Iguaçu

Isso mesmo, os homens tem o dia nacional e o internacional deles. O dia nacional que é 15 de julho, foi inspirado no Dia Internacional do Homem, que é 19 de novembro. No Brasil, o Dia do Homem foi criado por iniciativa da Ordem Nacional dos Escritores e é celebrado no país desde 1992.

O objetivo é conscientizar a população masculina sobre os cuidados que devem tomar com a sua saúde, já que as estatísticas mostram que os homens morrem mais e mais novos que as mulheres por serem menos cuidadosos com a saúde.

O Fatos do Iguaçu, que há uns cinco anos vem dando destaque à data, decidiu esse ano entrevistar 4 homens que atuam em setores diversos e com faixa etária diferentes. Porém, como eles mesmos costumam dizer, dois roeram a corda e não compareceram. Dois marcaram presença e foram muito firmes em suas respostas, apesar de começarem o bate papo um pouco nervosos, mas foram se soltando, ao entrevistá-los, queremos homenagear todos os homens que contribuem para a formação e crescimento da sociedade.

CONVIDADOS

Mercilo
Leandro

Quem aceitou conversar sobre o ser homem foi o empresário Leandro Guzzi, da Adega Sabor do Sul, que hoje está com 32 anos, cursando a Faculdade de Gastronomia, é casado há 5 anos, pai de três filhos.

O outro é o gerente da unidade da Coamo de Pinhão, Mercilo Bertolini, 53 anos, formado em Ciências Econômicas, casado há 25 anos, pai de um casal.

A conversa começou com o tema saúde, se eles se cuidam, vão ao médico regularmente. Leandro contou que faz pouco tempo decidiu se cuidar e foi ao médico para uma consulta regular. Já Mercilo contou que já algum tempo faz exames anuais regularmente e que há pouco tempo decidiu introduzir na vida uma atividade física, “Essa atividade não é a ideal, mas é um começo” detalhou Mercilo entre risos.

Quanto ao que é ser homens, ele se olharam, pensaram e responderam:

Leandro: para mim está ligado à responsabilidade, a gente vem de uma cultura, eu particularmente, que o homem é o responsável pela casa, pelo alimento e bem estar da família. Somos o exemplo para os filhos, o pilar da casa.

Mercilo: é ser o esteio da família, não no sentido de ter o poder, mas de ser o porto seguro, ele precisa ser participativo, o exemplo, juntar o que diz à ação. Para isso, é preciso que se tenha ética, uma postura digna.

Fatos: Ser pai modificou vocês?

Leandro: Muito, deu outro sentido para a vida. Antes deles eu pensava no meu carro, nas minhas coisas, nas saídas com os amigos. A partir deles, a preocupação é a família, o futuro deles.

Mercilo: muda totalmente, quando acontece o casamento já vem o compromisso e as responsabilidades, o ser pai torna esse compromisso maior, pois passamos a ter alguém que depende de nós, o futuro dele é nossa responsabilidade, a gente muda as atitudes, pois passamos a ser exemplo.

AS MULHERES PERGUNTAM

Para realizar a entrevista, a equipe de reportagem indagou a alguma mulheres o que elas gostariam de perguntar aos homens e aqui estão algumas perguntas:

Por que os homens têm dificuldade de colocar a roupa suja no lugar  certo?

Nossos entrevistados disseram que eles não sabiam porque os outros homens não colocam no cesto as roupas sujas, mas que eles eram organizados e colocavam.

Leandro:  Pra mim isso não é difícil e até divido algumas tarefas de casa com a minha esposa.

Mercilo: Eu sou disciplinado, não gosto de nada fora do lugar, então a roupa suja vai para o lugar certo.

Os homens são superiores às mulheres?

Os dois convidados afirmaram que não, que as mulheres estão ai ocupando todos os espaços e mostrando que não há superioridade nem de homens e nem de mulheres. O Mercilo lembrou que já se pensou diferente. ”Há um tempo as mulheres não trabalhavam, acabava acontecendo a submissão, hoje, a modernidade leva à igualdade e inclusive está forçando o homem a aprender a dividir as tarefas domésticas”  Os dois concordaram que como está hoje é bem melhor.

Se vocês soubessem que só tem 30 dias de vida, quais seriam suas prioridades?

Leandro:  eu passaria esse dias curtindo meus pais, filhos e esposa e meus avós.

Mercilo: a primeira coisa que faria seria uma reflexão sobre a minha vida, e com certeza ficaria com a família, mas, buscando dar um direcionamento à família, conversando sobre aquilo que construímos juntos, ressaltando a importância do laço familiar e deles permanecerem juntos.

Por que os homens têm dificuldade em expressar seus sentimentos e emoções? 

Leandro: Realmente para os homens falar dos sentimentos, chorar é complicado, é difícil até pra dizer que ama. Penso que veio da questão cultural essa dificuldade, até porque sempre é dito que cabe ao homem ser forte.

Mercilo: Concordo com o Leandro, a geração anterior à minha era muito rígida, não expressa, inclusive seu carinho aos filhos, até porque o homem era que tinha que ser o forte em todas as situações. E isso passa, mas penso que do lado emocional melhorou um pouco na questão afetividade, ainda há mais dificuldade, inclusive entre pais e filhos, principalmente quando esses saem da infância.

O que vocês pensam a respeito do vestuário feminino, a roupa faz a mulher?  

Leandro: Ainda tem muito homem que julga a mulher pela roupa que ela está. Mas, para mim, o que importa é o comportamento, a postura da mulher

Mercilo: Uma roupa mais ousada chama a atenção, penso que a mulher deve buscar estar elegante e com a roupa certa para cada ocasião e local. A diferença está no caráter da pessoa seja do homem ou da mulher.

O que vocês esperam das mulheres?

Leandro: que elas ocupem cada vez mais os mais diversos lugares, cargos e profissões, não sei o que vai acontecer e como vamos lidar com isso, (risos) mas elas estão tomando conta.

Mercilo: que elas saibam dar valor a elas mesmas e tenham vida própria, que elas saibam conduzir a sua vida sem depender do outro.

Por que os homens traem? As estatísticas mostram que os homens traem mais.

Leandro: O homem que é infiel, é falta dele olhar para dentro de casa, para a família com mais carinho, é esquecer os compromissos assumidos perante Deus e a família, é uma questão de respeito, e de ambos. Mas já melhorou muito.

Mercilo: entre risos, acho que as estatísticas estão enganadas, hoje a situação está quase empate. Um pouco vem da cultura, antigamente o homem podia tudo e a mulher não. Mas hoje já mudou muito, homens e mulheres estão muito soltos, porém, a traição não é boa em nenhum caso. Quando ocorre, é porque as coisas não estão bem entre o casal e a traição piora a situação, todos da família sofrem as conseqüências.

Por que os homens têm dificuldade de perceber as mudanças estéticas na mulher?

Leandro: entre muitos risos, porque a mulher corta as pontinhas do cabelo, e ai fica difícil de perceber a diferença. Eu percebo, questão da cor da unha, mudança de cor de batom, mas, confesso, o cabelo é difícil, (mais risos) vocês cortam pouquinho e ai não dá diferença.

Mercilo: com o passar do tempo a gente aprende a calibrar o olhar e ver essas mudanças que as mulheres realizam, mas temos o defeito de não falarmos, não comentarmos e às vezes as mudanças são mínimas, (mais risos).

Vocês dariam conta de trocar de lugar com as mulheres e realizariam todas as tarefas diárias delas?

Nessa pergunta, Leandro diz que ajuda nas tarefas da casa e Mercilo contou que na casa dele as tarefas já são bem divididas. Mas os dois responderam que sim, que dariam conta, porém, talvez não com a mesma propriedade e empenho, capricho que as mulheres, o olhar delas é mais crítico. Mas os dois afirmaram que se for para cozinhar, no caso deles, eles se saem melhor que as esposas e elas preferem que eles cozinhem, (aqui o riso explodiu)

No que vocês são bons?

Leandro: eu sou bom na questão do afeto, família pra mim é importante, sou muito apegado aos meus pais, demonstro isso, se começar a falar muito deles já começo a chorar, no trabalho penso que sou bom no que faço.

Mercilo: considero-me bom pai, bom marido, gosto de compartilhar as coisas, me preocupo em manter um bom relacionamento na família, no trabalho eu visto a camisa, me dedico.

No que vocês não são bons?

Leandro: nas tarefas diárias deixo a desejar.

Mercilo: na questão de falar mais, demonstração afetiva, no expressar mais e incentivar mais as pessoas da família.

Vocês esperam que os filhos de vocês sejam um homem …

Leandro: de caráter, mas eu falaria para ele ser um homem humilde, que ele faça o bem sem olhar a quem

Mercilo: honesto, de caráter, que cumpra com os deveres

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × dois =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: