Imagem ilustrativa/reprodução

COLUNA ACONTECE SAÚDE: Dê uma banana à desnutrição

Conheça a essencialidade dos alimentos ricos em potássio para a boa saúde e de onde vem a força deles

Saborosos, necessários à reposição das energias, essenciais à vida. Os alimentos, quando processados pelo organismo, são usados no metabolismo, ajudando na manutenção e crescimento dos tecidos.

São ainda fonte de nutrientes que nosso corpo não consegue produzir, a exemplo do potássio (K). Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é recomendável que um adulto consuma dose de 3.510 mg diariamente. Daí ser de maior relevância a ingestão de alimentos ricos neste nutriente.

“Podemos encontrá-lo por exemplo na batata doce, espinafre, abacate, aveia, uva passa e banana. O potássio é fundamental na contração muscular e na manutenção do ritmo cardíaco”, registra o médico nutrólogo Luiz Roberto Queroz, diretor do Departamento de Nutrologia da Associação Paulista de Medicina (APM). “Os sintomas de deficiência são cãibras, fraqueza muscular, intestino preso, irregularidades no batimento cardíaco, náuseas e vômitos”.

O potássio é ainda um regulador natural da acidez celular, já que figura entre os principais eletrólitos que ajudam a manter o equilíbrio ácido-base do corpo e dos seus fluidos, aumenta a densidade mineral dos ossos e conduz impulsos nervosos como, por exemplo, para o coração, mantendo a pressão sanguínea e reduzindo o risco de doenças cardiovasculares.

Não bastasse estar envolvido em todos esses mecanismos, o potássio tem sido evidenciado quanto ao seu potencial na terapia de algumas patologias. A atividade de canais de potássio pode ser considerada alvo terapêutico no tratamento de doenças como esclerose múltipla, Alzheimer, esquizofrenia, enxaquecas, hipertensão pulmonar e diabetes.

Conforme explica Daniel Magnoni, autor do livro “PANDEMIA – Relatos da Frente de Batalha; Dicas e orientações sobre a alimentação na nova era” e coordenador da área de alimentação e nutrição da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), há indicativos de que tais canais exercem efeito neuroprotetor e cardioprotetor, mas ainda são necessários mais estudos para elucidação e confirmação.

Do solo para as plantas e destas para você

A fertilização é garantia da presença do potássio na produção agrícola, pois nem sempre ele é encontrado em quantidades suficientes no solo. Vale registrar ainda que, ao serem colhidas, as plantas exportam o potássio que extraem da terra, deixando os solos deficientes desse nutriente com o passar do tempo.

Os adubos empregados nas lavouras como fonte desse nutriente são o cloreto de potássio, o sulfato de potássio e o sulfato duplo de potássio e magnésio, entre outros. Eles são provenientes de depósitos naturais e contêm o potássio idêntico ao que nosso organismo utiliza.

Levantamento do National Center for Chronic Disease Prevention and Health Promotion aponta que apenas 3% dos adultos e 10% das crianças até 5 anos nos Estados Unidos têm uma ingestão adequada de potássio. Devidamente fertilizados, os solos permitem produzir alimentos ricos desse nutriente, como é o caso do feijão e ervilha (1.300 mg de K para cada 100 g), nozes (600 mg de K para cada 100 g), couve e espinafre (550 mg de K para cada 100 g) e frutas como banana e mamão (300 mg de K para cada 100 g).

Combate ao desconhecimento é essencial

Fica o alerta de que a ausência de certos nutrientes pode acarretar interrupção de alguma atividade essencial do organismo e complicações por desnutrição. Aliás, há quadros de desnutrição consequentes diretamente da deficiência nutricional na alimentação.

Portanto, o cultivo em solos fertilizados e com o aporte adequado de todos os nutrientes indispensáveis ao crescimento das plantas é imperioso para uma melhor qualidade nutricional dos alimentos e uma alimentação completa.

O engenheiro agrônomo e florestal Valter Casarin, coordenador científico do Nutrientes para a Vida (NPV), compreende que ainda cabe ao conjunto da sociedade fazer corretamente sua lição de casa quando o assunto é segurança alimentar. Registra que uma das prioridades é esclarecer os cidadãos sobre o que são os fertilizantes, seu papel e a importância do manejo adequado, com o objetivo de restituir os nutrientes ao solo para a geração de alimentos em larga escala e, em consequência, o barateamento dos produtos agrícolas, entre outros benefícios.

“O NPV tem a missão de esclarecer e informar, com base em estudos e dados científicos, sobre a relevância e os benefícios da adubação na produção e na qualidade dos alimentos, bem como sobre sua utilização correta”, explica. “Ainda existem mitos e desconhecimento acerca dos fertilizantes, pois as pessoas os confundem com outros itens usados na agricultura. Fato é que o fertilizante é a fonte de nutrientes para as plantas e, consequentemente, para o ser humano”.

Apoio:

Apoio Coluna Acontece Saúde

COLUNA SAÚDE ACONTECE
Perguntas e sugestões podem ser enviadas para acontece@acontecenoticias.com.br
ou para a Avenida Pompeia, 634, conj. 401 – São Paulo, SP – CEP 05022-000

Faça seu comentário