Cidadão transforma o espaço e preserva o meio ambiente

Josiel dos Santos e suas duas filhas | Foto: Luana Caldas Martins

Josiel aproveitou um terreno baldio plantou uma horta orgânica

Por Luana Caldas Martins – acadêmica de jornalismo na Unicentro

Morador de Pinhão, Josiel dos Santos reside no bairro Dois Irmãos há mais de vinte anos e desempenhou no local uma iniciativa de interesse social. Um terreno de propriedade pública, muitas vezes negligenciado, contou com uma melhoria do espaço e com investimento particular no plantio de uma horta, que abastece família, vizinhos e amigos.

 Por muito tempo o espaço foi alvo de descarte de lixo e crescimento de um alto matagal que tapava a visão da rodovia. O morador conta que viu a ideia da horta em uma localização próxima e informou-se acerca da possibilidade de utilizar o espaço no bairro para a ação do projeto. Considerando a quantidade de terrenos vagos e desperdiçados, importância ambiental, alimentícia e visual, Josiel concorda que vale a pena a mão-de-obra e o tempo dedicados no desenvolvimento dos alimentos orgânicos.

 Uma dado da Abrasco (Associação Brasileira de Saúde Coletiva), mostrou que cada brasileiro consome em média 7 litros de agrotóxico por ano, e no Paraná o número chega a crescer, pois além dos alimentos, o contato com o veneno pode vir também pela água e pelo ar.

É de conhecimento popular que em busca de um salto financeiro e com resultado, grandes produtores utilizam sementes transgênicas como estratégia, mas algumas dessas sementes são criadas já dependentes de determinados agrotóxicos e o produtor encontra-se obrigado a adquiri-los.

Já na horta cultivada por Josiel, ele procura obter sementes puras e com propriedades naturais, que consegue encontrar com amigos e conhecidos, então, preserva ainda mais a responsabilidade com a alimentação e com a originalidade das plantas: “assim você consegue salvar e resgatar muita genética de plantas antigas. No ano passado eu consegui plantar o milho palha roxa, um milho muito bonito e antigo que não necessita de agrotóxicos”.

 A produção da horta foi iniciada em 2018 e desde então Josiel já plantou alho, pepino, abobrinha, repolho, melão, alface. Como a proximidade com o trabalho é recente, a vegetação escolhida para o plantio deve ser selecionada: “Mandioca, arvoredos, você precisa plantar alimentos de longo prazo, se plantar coisas que logo vai colher tem-se um desperdício muito grande até pegar o dom”.

 O produtor conta também sobre as plantações de beiras de estrada que presenciava acerca de três anos nas rodovias de Maringá e São João do Ivaí. Havia muito cultivo de manga e abacate, alimentos que podiam ser apanhados por qualquer pessoa que sentisse interesse. Ele lamenta por esta região não possuir tal cultura de produção e incentiva os moradores sobre a importância da dedicação e cuidado com a alimentação que deve ser vista sempre em primeiro lugar.

 Nas expectativas para o andamento da atividade orgânica, ele pretende cuidar como sempre da área utilizada, plantar rotineiramente opções diversificadas de alimentos (como batata-doce por exemplo), e também estuda a possibilidade de aumentar o alcance social produzindo uma horta com ajuda de alguns amigos para a Escola Santa Terezinha.

Assim, será mais uma área alternativa que cresce em função da boa alimentação, da preservação do meio ambiente, do cuidado visual e da qualidade de vida no bairro Dois Irmãos.

 

Deixe uma resposta

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: